Pai denuncia ex por obesidade da filha e diz que mulher não dá boa alimentação a menor

Pai denuncia ex por obesidade da filha e diz que mulher não dá boa alimentação a menor

"A cada 15 dias, quando vejo minha filha, percebo que ela está mais gorda", disse.

Inconformado com o constante ganho de peso da filha de seis anos, um pai de Londrina (PR) registrou boletim de ocorrência contra a ex-mulher e os avós maternos da menina por maus-tratos. O casal está separado desde 2010 e disputa a guarda da filha -que mora com a mãe e os avós- na Justiça.

O pai diz que a menina não recebe alimentação adequada e, por isso, engorda. Aos seis anos, pesa mais de 50 kg.

A avaliação feita por uma nutricionista em janeiro e apresentada por ele à polícia diz que o peso ideal para a criança, que media 1,35 m e pesava 49 kg à época, seria cerca de 20 kg.

"A cada 15 dias, quando vejo minha filha, percebo que ela está mais gorda. Cheguei a levar o caso ao Conselho Tutelar", diz ele, que é professor, não quis ser identificado para não expor a criança e tem 1,87 m e 115 kg.

"Procurei a polícia antes, mas não consegui fazer boletim de ocorrência, porque diziam que não é crime a criança estar acima do peso."

Desta vez, o pai apresentou à polícia a avaliação antropométrica da menina e artigos sobre a responsabilidade legal em relação aos filhos.

Ele nega que a denúncia tenha relação com a disputa da guarda. "Estou preocupado com a saúde dela. Ela já tem o colesterol alterado e sofre bullying na escola", diz.

O advogado da mãe da garota, Vanderley Doin Pacheco, disse que a menina recebe a atenção médica necessária. "A mãe não é omissa. A questão é hereditária: várias pessoas das famílias materna e paterna têm sobrepeso. Além disso, o pai também é responsável pela saúde dela."

Pacheco afirmou que os mesmos argumentos apresentados pelo pai à polícia foram usados no processo que corre em segredo de Justiça.

O casal tem outra filha, de 12 anos, que mora com o pai.

O delegado Cássio Wzorek disse que convocou a mãe da menina. "Provavelmente será feito um termo circunstanciado de infração penal. Em seguida, encaminharei o material ao Juizado Especial Criminal, onde o casal deverá ser ouvido."

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br