Pai pede desculpas por não saber escrever e filha comove a web

O fato é que a alfabetização é também um privilégio

Viver em um país desigual como o Brasil é também compreender que certos princípios supostamente básicos, como saber ler e escrever, são, na realidade, privilégios. Seja por boa parte da população simplesmente não ter acesso a um ensino de qualidade, seja pela necessidade de trabalhar desde cedo para sobreviver (e, na maioria dos casos, pelos dois), o fato é que a alfabetização é também um privilégio.

Um post recente, da carioca Micarla Lins, ilustra perfeitamente essa relação.


O post é ilustrado por um print de uma pequena conversa entre ela e seu pai, na qual tanto ela quanto ele ilustram perfeitamente o quanto o nível de alfabetização de alguém não é uma medida de caráter ou inteligência.

O pai afirma que nunca a julgará, por ama-la, e em seguida, pede desculpas por não saber escrever corretamente. Ela responde sem titubear: não é preciso que ele saiba escrever para ela ama-lo de volta. O post já possui mais de 11 mil compartilhamentos, e nos comentários, diversos outros relatos, similares ao da foto.

No texto, um desabafo de Micaria, cansada de ouvir e ler piadas sobre quem “não sabe escrever”. Quantas vezes você se dispôs a ler para alguém? A ensinar alguém a escrever? Sabemos o quanto a maneira que alguém escreve pode se tornar motivo de chacota ou ataques, especialmente na internet.

Saber ler e escrever é um veículo para o crescimento e o crescimento de um indivíduo – e, por isso mesmo, é também um privilégio. As circunstâncias e a história de uma pessoa são determinantes sobre seu nível de instrução, e as oportunidade definitivamente não são iguais para todos. Por isso. muito mais importante do que saber escrever é o que você faz com esse conhecimento – e se o usamos para excluir ou diminuir o outro, aí sim estaremos sendo ignorantes, alfabetizados ou não.

Para comover-se e sentir empatia pelo outro não é preciso possuir um alto nível de instrução – só é preciso mesmo ter um coração.

Fonte: Com informações do Hypeness