Pai se confunde e dá cloro em vez de remédio para a filha

Segundo delegada, pai ficou com medo e denunciou Secretaria de Saúde.

O pai de uma bebê que passou mal após receber uma dose de cloro em vez de medicamento confessou que trocou os frascos por não saber ler. Na quinta-feira (10), ele procurou a delegacia da Polícia Civil na cidade de Alagoa Nova, no Agreste paraibano, para denunciar que a Secretaria Municipal de Saúde teria entregue uma dose de cloro, o que provocou uma intoxicação na menina de dois meses.

Porém, durante o depoimento, a delegada Patrícia Pinheiro notou contradições e Sebastião Rodrigues, de 34 anos, acabou confessando que pegou o vidro errado.

“Ele não sabe ler o remédio”, disse a esposa dele, Érika Rodrigues. Ela informou à reportagem que o marido se confundiu ao escolher o vidro para medicar a filha. Segundo a delegada, ao perceber que o quadro de saúde da filha havia se agravado, ele ficou com medo e denunciou a Secretaria de Saúde de Alagoa Nova. Agora o pai vai responder em liberdade pelo crime de denunciação caluniosa.

De acordo com a secretária municipal de Saúde, Valkênia Morais, a menina de dois meses foi levada ao Hospital Municipal Sofia de Castro Costa apresentando tosse e o médico receitou cloridrato de ambroxol, um xarope que foi entregue pelo posto de saúde Em casa, o pai teria se confundindo e dado à menina uma dose da solução que estava no frasco de amoxicilina. Dentro não havia o remédio, mas sim cloro.

Como o quadro de saúde dela piorou, a menina foi levada para o Hospital de Trauma de Campina Grande, onde os exames constataram que ela sofreu uma intoxicação por ter ingerido cloro. “Não foi nem um erro na Secretaria de Saúde, mas sim da família que já havia usado o frasco para armazenar o cloro”, disse a secretária Valkênia Morais. A menina já recebeu alta e está com a família.

Fonte: g1, www.g1.com.br