Pais perdem a guarda do filho ao se recusarem a dar guloseimas

Os médicos pediram permissão para colocar Zak sob observação por duas semanas

Uma criança de dois anos foi tirada de seus pais e levada para o serviço de assistência social depois que eles se recusaram a seguir a orientação médica de alimentar o filho com guloseimas, informa o jornal Telegraph. Paul e Lisa Hessey, da cidade de Derbyshire, na Inglaterra, estavam preocupados com a saúde do filho, Zak, que não estava ganhando peso adequadamente.

Decidiram levá-lo ao Hospital Chesterfield Royal, em julho deste ano, e ouviram dos médicos que deviam alimentar o filho com biscoito, batata frita, chocolate, tortas etc. Segundo relato do casal, eles questionaram os médicos sobre essa orientação e disseram que estão acostumados a alimentos saudáveis, preparados em casa, e só oferecem guloseimas ao filho esporadicamente.

Os médicos pediram permissão para colocar Zak sob observação por duas semanas. Paul e Lisa consentiram, mas foram surpreendidos ao ouvir de uma funcionária que a criança seria levada ao serviço de assistência social, para que eles pudessem ?avaliar as necessidades? de Zak e ver como ele estava se alimentando. Também foram informados de que, se contestassem a decisão da assistente social, o caso seria levado diretamente à Justiça e ambos perderiam todos os direitos sobre o filho.

?Eu fiquei completamente acabada. Me debulhei em lágrimas?, disse Lisa em entrevista ao jornal. Ela disse ainda ter ouvido dos funcionários do hospital que ?se ela ama o filho e quer o melhor pra ele, então deveria concordar voluntariamente?. Zak foi levado para a assistência social. Depois que seus pais contrataram serviços de advogados, conseguiram permissão para passar três horas por dia com ele, mas somente na presença de um assistente social.

?Pensei que estivesse fazendo a coisa certa ao pedir o conselho de especialistas quando meu filho começou a perder peso?, disse Paul. ?Mas em vez disso, fui acusado de negligência?. Paul e Lisa tiveram de recorrer à Justiça para ter o filho de volta, e depois de quatro meses o garoto enfim pode voltar pra casa. No período em que passou sob os cuidados de assistentes sociais, ele não engordou nem meio quilo.

Fonte: Terra, www.terra.com.br