Palmeirense João Vitor diz que chute em seu carro causou briga

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo divulgou o boletim de ocorrência

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo divulgou o boletim de ocorrência registrado após a agressão ao volante do Palmeiras, João Vitor, ocorrida nesta última terça-feira. Segundo as informações contidas nos depoimentos do jogador e de um torcedor detido, a briga generalizada teve início após o indivíduo ter chutado o carro do atleta.

A agressão, registrada no boletim de ocorrência como lesão corporal e injúria, ocorreu em frente à loja oficial do Palmeiras, na Rua Turiassu. No 7ºD.P. da Lapa, o torcedor prestou depoimento e pouco depois a polícia ouviu a versão de João Vitor.

Em sua declaração, João Vitor afirma que ao sair da loja, foi abordado por um torcedor que o ofendeu e cobrou um melhor desempenho da equipe nesta temporada. O mesmo indivíduo ainda chutou seu carro, motivando seu cunhado e seu amigo a descerem do veículo para encerrar a discussão.

Neste momento, o torcedor tentou agredir o jogador e eles apenas se defenderam. Logo na sequência, demais membros da torcida do Palmeiras se juntaram à confusão, segundo a versão do atleta palmeirense. Por outro lado, o torcedor afirmou que apenas cobrou mais garra de João Vitor, negando ter chutado o carro. Além disso, deixou claro que as agressões partiram dos amigos do volante.

O Palmeiras emitiu um comunicado oficial em seu site e prometeu se pronunciar sobre o caso da agressão ao jogador somente após uma investigação completa das autoridades. Nesta quarta-feira, a equipe encara o Flamengo pelo Campeonato Brasileiro e não contará com Kleber. O jogador não embarcou para o Rio de Janeiro com o restante da delegação, após ter se desentendido com a diretoria quanto à posição do clube diante do caso.

Fonte: TERRA Especial