Pão francês é vendido por unidade em padarias de Teresina

Pão francês é vendido por unidade em padarias de Teresina

Desde o ano de 2006 seu valor deve ser cobrado por quilo e não por unidade.

O pão francês está presente na mesa de café da manhã de boa parte dos teresinenses, mas muita gente pode estar lesada na hora da compra sem saber.

Desde o ano de 2006 seu valor deve ser cobrado por quilo e não por unidade. No entanto, muitas padarias em Teresina ainda resistem a essa determinação e continuam cobrando por unidade.

A equipe do Jornal Meio Norte foi em algumas padarias da cidade e constatou que muitas acompanharam a mudança, mas ainda tem outras que são resistentes, principalmente aquelas menores.

O caixa de uma padaria da cidade, Rosa Oliveira, conta que na padaria em que ela trabalha não se vendem os pães franceses por quilo, mas por unidade. "Os clientes não costumam reclamar e o preço sai praticamente a mesma coisa. Nós já fizemos o teste e não tem diferença", disse.

Vender por unidade, no entanto, pode ser arriscado tanto para o cliente como para o estabelecimento comercial, pois um pãozinho de 55 g pode estar sendo vendido pelo preço do pão de 50 g. Ou até mesmo um pão de 45 g ser vendido pelo valor do de 50 g, por exemplo.

Quando vendido por quilo, o cliente leva para casa exatamente o que pagou, afinal não há um padrão no tamanho do pão francês e nem na qualidade da matéria-prima usada para fabricá-los.

Em uma das padarias por onde nossa equipe passou, onde eles cobram o pão francês por unidade, foi solicitado que o alimento fosse pesado. Após resistência do vendedor, ele aceitou fazer a pesagem.

Como resultado, foi constatado que o valor cobrado pelos pães estava bem acima do que realmente eles valiam. O valor que se pagaria pelos três pães, a princípio, seria R$ 0,90, mas a balança acusou que eles valiam apenas R$ 0,58. O quilo do pão custa hoje R$ 7,50.

Algumas das padarias que vendem o pão no quilo trazem um aviso, alertando os clientes da mudança da venda de unidade para o quilo. Essa mudança foi regulamentada pela portaria 146 do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial), que passou a valer em outubro de 2006. Estabelecimentos que não cumprem essa regra poderão ser multados.

Fonte: Pollyanna Carvalho