Papa condena mutilação feminina e violência doméstica contra mulheres

O papa também condenou a violência doméstica contra a mulher.

O papa Francisco condenou neste sábado (7) a mutilação feminina e a violência doméstica contra mulheres, consideradas pelo pontífice como degradações que precisam ser combatidas.

O papa disse em uma reunião sobre os problemas das mulheres no Conselho de Cultura do Vaticano:

"As muitas formas de escravidão, a comercialização e a mutilação dos corpos das mulheres nos convocam a nos comprometer a derrotar esses tipos de degradações que as reduzem a meros objetos que são comprados e vendidos",

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), mais de 140 milhões de meninas e mulheres foram submetidas a alguma forma de mutilação genital feminina ao redor do mundo, a maioria na África e no Oriente Médio.

O papa também condenou a violência doméstica contra a mulher.

 "Apesar de ser um símbolo de vida, o corpo feminino é infelizmente e frequentemente atacado e desfigurado, mesmo por aqueles que deveriam ser seus protetores e companheiros"

Francisco recentemente se encontrou com uma mulher italiana que passou por várias cirurgias depois que seu namorado jogou ácido no rosto dela porque queria deixá-lo.

Francisco também repetiu sua defesa por um papel maior para as mulheres entre os 1,2 bilhão de membros da Igreja Católica, mas não mencionou a proibição da Igreja sobre sacerdotisas.

O papa já havia dito anteriormente que "a porta está fechada" nessa questão.

Neste sábado, ele afirmou ao grupo que queria ver "uma presença mais incisiva das mulheres" ao redor da Igreja, acrescentando que as mulheres deveriam ter mais responsabilidades em paróquias e dioceses e que deveria haver mais mulheres teólogas.

Francisco já disse que está estudando como dar a freiras e outras mulheres posições mais importantes dentro de um Vaticano dominado por homens.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Brasil Post