Papa diz que decidiu nome após frase de cardeal brasileiro: "Não se esqueça dos pobres"

Papa diz que decidiu nome após frase de cardeal brasileiro: "Não se esqueça dos pobres"

"Não se esqueça dos pobres", disse cardeal Dom Claudio Hummes. Papa falou em encontro com a imprensa neste sábado (16), no Vaticano.

Em um encontro com a imprensa na manhã deste sábado (16), na sala Paulo VI, no Vaticano, o Papa Francisco disse que escolheu seu nome de líder da Igreja Católica após falar com o cardeal brasileiro Dom Claudio Hummes - arcebispo emérito de São Paulo, que participou do conclave que elegeu o novo Papa.

"Na eleição eu tinha ao meu lado o arcebispo emérito de São Paulo, um grande amigo. Quando a coisa começou a ficar um pouco perigosa, ele começou a me tranquilizar. E quando os votos chegaram a 2/3, aconteceu o aplauso esperado pois, afinal, havia sido eleito Papa. [...] Ele me abraçou, me beijou e disse "não se esqueça dos pobres". Aquilo entrou na minha cabeça. Imediatamente lembrei de São Francisco de Assis."

No encontro, o novo Papa disse que a imprensa e a Igreja têm "pontos de proximidade por trabalharem com a comunicação". "No caso da Igreja, da bondade, da verdade e da beleza."

Encontro com Cristina/b>

Segundo a agência de notícias EFE, Francisco receberá na próxima segunda-feira, às 12h50 (horário local, 8h50 de Brasília), a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, informou a assessoria de imprensa do Vaticano. Essa será a primeira audiência de Francisco com um chefe de governo e acontecerá na Casa de Santa Marta, onde o pontífice está hospedado enquanto não toma posse de seus quartos no Palácio Apostólico.

A presidente argentina viajará para Roma para assistir à missa inaugural do religioso, prevista para a próxima terça-feira, e na qual deverão estar presentes cerca de 150 chefes de Estado e de governo.

O papa também almoçará no próximo sábado com o pontífice emérito Bento XVI na residência apostólica de Castel Gandolfo, ainda segundo a assessoria de imprensa do Vaticano.O porta-voz Federico Lombardi já antecipara a intenção do papa de visitar o seu antecessor, que ficará em Castel Gandolfo até o fim das obras de reestruturação do mosteiro no interior dos muros do Vaticano onde viverá após sua renúncia.

Fonte: G1