Papa recebe chave da cidade e abençoa bandeiras olímpicas

O papa foi recebido pelo prefeito Eduardo Paes, pelo governador Sérgio Cabral e pelo presidente do Comitê Olímpico Brasileiro

O papa Francisco recebeu nesta quinta-feira a chave da cidade do Rio de Janeiro em cerimônia realizada no Palácio da Cidade, sede do governo municipal, e depois abençoou as bandeiras dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio 2016 na sacada do palácio, em um evento que contou com a presença de vários atletas brasileiros.

O papa foi recebido pelo prefeito Eduardo Paes, pelo governador Sérgio Cabral e pelo presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman.

As bandeiras foram apresentadas ao papa por dois atletas nos dois lados da sacada que dá para o jardim do Palácio da Cidade.

Após uma breve oração, o papa benzeu as bandeiras e foi aplaudido pelos presentes, entre eles atletas paralímpicos em cadeira de rodas.

O papa os abençoou, assim como os seus familiares e amigos e depois pediu que rezassem por ele.

Antes da bênção, o prefeito entregou a chave da cidade ao santo padre, que havia sido entregue a Paes por um atleta paralímpico.

Esta é a primeira vez que um papa tem contato direto com os Jogos Olímpicos, embora no passado outros já tivessem se interessado pelo tema, como o papa Pio XII, que apoiou a iniciativa do barão De Coubertin para criar os Jogos Olímpicos da era moderna.

Pio XII foi o primeiro a aprovar a prática esportiva no Vaticano, permitindo a construção de pequenos ginásios.

João XXIII cumprimentou os atletas que participaram dos Jogos Olímpicos de Roma em 1960 e João Paulo II foi um esportista apaixonado que dedicou alguns momentos de seu magistério ao esporte, especialmente durante o Grande Jubileu de 2000 da Igreja Católica.

Bento XVI, no dia 22 de julho de 2012, também se referiu às Olimpíadas de Londres e durante o Ângelus daquele dia defendeu que os Jogos Olímpicos da cidade britânica fossem "uma verdadeira experiência de irmandade entre os povos".

O papa lembrou que os Jogos Olímpicos são o maior evento esportivo mundial, onde participam atletas de várias nações e, como tal, tem um forte valor simbólico, "por isso, a Igreja Católica olha para esse evento com particular atenção e simpatia".

Em sua mensagem, o papa emérito também saudou "aos organizadores, atletas e espectadores" e disse que "no espírito da Paz Olímpica, a boa vontade gerada pelo evento esportivo internacional tem seus frutos, promovendo a paz e a reconciliação no mundo todo".

Após esse evento, o Francisco se dirigiu para a comunidade de Varginha, no complexo de favelas de Manguinhos, um lugar que era, até o final do ano passado, controlado por organizações criminosas e narcotraficantes.

Fonte: Terra