Papa se encontra com vítimas de abusos e promete justiça

O Vaticano divulgou um comunicado depois que o papa se encontrou com oito malteses

VALLETTA (Reuters) - O papa Bento 16, no seu primeiro gesto desde que uma nova onda de escândalos de abuso sexual atingiu a Igreja Católica, prometeu neste domingo que a Igreja fará "tudo ao seu alcance" para levar os culpados à Justiça e proteger os jovens.

O Vaticano divulgou um comunicado depois que o papa se encontrou com oito malteses vítimas de abuso sexual na embaixada do Vaticano em Malta, no segundo e último dia da visita de Bento 16 ao país.

"Ele rezou com eles e os assegurou que a Igreja está fazendo, e continuará a fazer, tudo ao seu alcance para investigar as alegações, para levar os responsáveis pelo abuso à Justiça e implementar medidas de segurança efetivas para proteger os jovens no futuro", diz o comunicado.

O comunicado foi um dos mais claros do Vaticano na direção de que os bispos devem colaborar com autoridades civis nos processos contra padres que tenham abusado de crianças.

As vítimas maltesas tinham pedido um encontro com o papa, mas o Vaticano só confirmou a reunião depois que ela havia acabado.

"Ele ficou profundamente emocionado com as histórias e expressou a sua vergonha e tristeza com o que as vítimas e suas famílias sofreram", afirma o texto. O documento acrescenta que o papa espera que a dor deles se cicatrize.

Um porta-voz afirmou que o papa primeiro se encontrou com o grupo, depois falou com cada um de forma individual, antes de todos rezarem juntos.

"Eu perdi minha fé nos últimos 20 anos", disse a vítima Lawrence Grech, de 37 anos, após o encontro. "Eu disse a ele que ele pode preencher esse vazio, preencher o que os padres me tiraram quando eu era mais jovem."

"Esta experiência vai mudar a minha vida. Agora posso falar para a minha filha que eu acredito", afirmou, chorando.

O grupo Snap, sigla em inglês para rede de pessoas que sofreram abusos de padres, com base nos Estados Unidos, disse esperar que vítimas maltesas se sintam agora melhor.

"Contudo, a tristeza do papa não afasta nenhum desses padres das crianças, não expõe bispos corruptos, não torna as crianças mais seguras. Esse deve ser o foco do papa", disse a diretora do grupo Barbara Dorris.

Fonte: Yahoo