Planilhas de custos: Passagem deve ficar entre R$ 1,90 e 2,10 em Teresina

Planilhas de custos: Passagem deve ficar entre R$ 1,90 e 2,10 em Teresina

"Apoiarei o preço que estiver melhor para o povo", diz Elmano Férrer.

O prefeito Elmano Férrer apareceu “de surpresa” na manhã de ontem na Superintendência de Transportes e Trânsito (Strans) em mais uma reunião da comissão que está encarregada de analisar os detalhes das planilhas de custos do transporte urbano de Teresina.

A comissão, que vem reunindo- se três vezes por semana (segundas, terças e quartas), só vai expedir conclusões no dia 26, mas já há informações de que a passagem deve ficar no meio termo, entre R$ 1,90 e R$ 2,10.

“Apoiarei o preço que estiver melhor para o povo, não importa o valor”, disse o prefeito, depois de participar da reunião. Segundo Elmano, a visita teve o intuito de acompanhar os trabalhos dos participantes da comissão, que representam 26 entidades ligadas ao transporte público e à sociedade civil – entre eles Setut, Strans, Assembleia Legislativa, Tribunal de Contas do Estado.

O prefeito manifestou confiança no trabalho da comissão. “É um grupo plural e eclético. O trabalho está muito bom, mas reitero a necessidade de haver um compromisso de todas as entidades para que consigamos chegar a um consenso que beneficie a todos nessa questão”, disse o prefeito.

Ainda na sede da Strans, Elmano Férrer conheceu o sistema eletrônico de rastreamento de veículos, que por enquanto encontra-se na fase de testes e está sendo usado para monitorar o trajeto de 40 ônibus. O coordenador do sistema, Vinícius Rufino, afirma que a novidade ainda está em fase de testes, mas já mostra algumas funcionalidades.

“O monitoramento é baseado em sistemas de GPS e GPRS, com transmissão por 3G. Com essa tecnologia, temos acesso a dados de velocidade, localização e previsão de chegada dos ônibus nas paradas”, disse o técnico. No entanto, os dados são visualizados apenas pela Strans – não está descartada a possibilidade de, no futuro, o sistema fornecer informações também aos usuários de ônibus da capital.

Para Alzenir Porto, superintendente da Strans, a novidade vai permitir um trabalho mais integrado entre o tráfego de ônibus e a fiscalização do fluxo de trânsito. “Se visualizarmos na tela um comboio de veículos, por exemplo, poderemos checar com mais rapidez se a via possui algum tipo de impedimento à circulação”.

Elmano Férrer afirmou que o monitoramento vai auxiliar também na futura integração das linhas, para a qual foram conseguidos recentemente R$ 111 milhões em recursos federais. Já a parte física dos terminais de integração deverá ser feita com dinheiro do PAC

Fonte: Dowglas Lima