Pedestres correspondem a 27,5% das mortes nas estradas

dos da Polícia Rodoviária Federal mostram que, esse ano, eles saíram da terceira para a segunda posição no ranking das vítimas fatais de acidentes de trânsito

CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTA SEXTA-FEIRA (19) DO JORNAL MEIO NORTE.

O número de mortes de pedestres no trânsito tem crescido, de acordo com as últimas estatísticas divulgadas pelos órgãos de trânsito. Dados da Polícia Rodoviária Federal mostram que, esse ano, eles saíram da terceira para a segunda posição no ranking das vítimas fatais de acidentes de trânsito, nas rodovias federais que cortam o Piauí.

Em 2013, de janeiro até metade do mês de setembro, o atropelamento de pedestre correspondia a 23% do número de mortes nas estradas. Já no mesmo período de 2014, esse número subiu para 27,5%. “Isso tem acontecido porque o artigo terceiro do Código de Trânsito está sendo desrespeitado. O artigo diz que os veículos maiores tem que respeitar os menores e todos devem ser respeitar os pedestres e essa relação está sendo quebrada, por isso tem crescido esses índices”, afirmou o inspetor Raimundo Rameiro, da PRF.

Para tentar chamar a atenção da sociedade para os cuidados no trânsito, a Semana Nacional do Trânsito, que teve início na última quinta-feira (18), tem como um dos seus focos o pedestre, com o tema “Cidade para as pessoas: Proteção e Prioridade ao Pedestre”. Como parte da semana, aconteceu ontem, na Praça Pedro II, a 1º Feira de Segurança e Educação no Trânsito. Segundo a gerente de Educação de Trânsito da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), Samyra Motta, os pedestres são o tema da semana, mas os condutores não podem descuidar de nenhum dos atores do trânsito.

“O tema da Semana é o pedestre, mas o tema da feira é o trânsito em geral. Os pedestres vem crescendo nas estatísticas que apontam números de acidentes de trânsito e merecem atenção dos órgãos envolvidos com a prevenção desses acidentes. No entanto, não podemos esquecer todos os envolvidos nesse processo”, afirmou.

Fonte: Pollyana Carvalho