Penitenciária Feminina busca ressocialização através do acolhimento

Durante a programação, que levou a manhã inteira, também foi oferecido um café da manhã e uma missa ecumênica, onde as mensagens de 12 religiões das mais diversas raízes foram levadas às detentas

O Dia Internacional da Mulher foi um dia cheio na Penintenciária Feminina de Teresina. Às 7h30 da manhã foram iniciados os trabalhos, com uma oração cantada que contou que a participação de internas.


Estiveram presentes muitas autoridades, dentre elas Daniel Oliveira, secretário de justiça do estado, que ressaltou a importância desta atividade. “É um momento de integração e debates, trazendo como compromisso a defesa dos direitos e a orientação dos deveres das detentas. Embora elas estejam privadas da liberdade, fazemos esse momento de acolhimento”, declara.


Através da confraternização, uma mensagem de ressocialização. “Foi uma grande confraternização entre as detentas e seus familiares, e é uma oportunidade das famílias trocarem experiência. Atividades como essa são boas para a ressocialização, pois tentamos humanizar as detentas, que antes de tudo são mães, filhas e esposas”, afirma João Batista, vice-diretor e coordenador pessoal da Penintenciária Feminina.


Durante a programação, que levou a manhã inteira, também foi oferecido um café da manhã e uma missa ecumênica, onde as mensagens de 12 religiões das mais diversas raízes foram levadas às detentas.

Fonte: Lucrécio Arrais