Perito reforça que Isabella tinha ‘todos os indícios’ de asfixia

Segundo a acusação, ela possuía “todos os indícios” de asfixia. Dessa forma, quando caiu da janela, já estaria praticamente morta.

O depoimento do médico legista Paulo Sérgio Tieppo Alves, testemunha convocada pela acusação e defesa, durou três horas. Durante o interrogatório do perito que examinou Isabella, a promotoria se esforçou ao máximo para mostrar que a menina foi asfixiada antes de morrer.

Segundo a acusação, ela possuía ?todos os indícios? de asfixia. Dessa forma, quando caiu da janela, já estaria praticamente morta.

O médico falava o tempo todo sobre os ferimentos da menina, e separou as lesões em três grupos principais: as inerentes à asfixia, à queda sentada (Isabella teria sido atirada no chão antes de ser jogada no jardim) e à queda da janela. Durante seu testemunho, usou um linguajar muito técnico, detalhando bastante cada lesão que encontrou ao examinar o corpo da vítima.

O depoimento de Paulo Sérgio Tieppo Alves representa o primeiro do grupo dos chamados ?prova técnica.?

Fonte: Estadão, www.estadao.com.br