Permissionários reclamam de reforma do setor de hortifruti do Mercado do Dirceu em Teresina

Permissionários reclamam de reforma do setor de hortifruti do Mercado do Dirceu em Teresina

A nova cobertura para aquele setor é uma reivindicação antiga dos comerciantes. Mas o projeto, segundo eles, não agradou, pelo fato de que a estrutura não os protege nem do sol e nem da chuva

Os permissionários do setor de hortifruti do Mercado do Dirceu I, zona Sudeste de Teresina, não estão nada satisfeitos com a reforma que está sendo realizada na cobertura do espaço local. Isso porque a nova cobertura, que está em fase de construção, é ineficaz, e eles reclamam que essa estrutura não os protege nem do sol e nem da chuva. Segundo relatos, em razão do sol, parte das frutas e verduras ofertadas nas bancas acaba estragando.

Uma nova cobertura para aquele setor é uma reivindicação antiga dos comerciantes. Mas o projeto oferecido pela Prefeitura Municipal de Teresina não agradou ninguém. “Nós estamos aqui pegando sol e chuva do mesmo jeito, aqui não melhorou nada. A chuva continua molhando tudo e o sol continua castigando a gente. Isso é pura propaganda enganosa esse teto aí”, aponta a permissionária Josileia de Sousa.

Segundo os comerciantes, a cobertura não os protege do sol e da chuva porque é muito alta, e não há nenhum toldo para conter as intempéries do tempo: “Eles deveriam terminar isso aí logo e fazer alguma coisa pra tampar o sol, porque já está insuportável pra gente ficar nessas condições. Isso aí que eles estão fazendo é muito alto, o sol entra todinho e prejudica a gente, e muito”, atesta a também comerciante Josilene Rodrigues.

O problema tem gerado muitos inconvenientes, mas o que mais deixa os permissionários revoltados é a perda de mercadorias: “Aqui a gente perde muita coisa por causa da chuva, apodrece a mercadoria e o prejuízo é enorme.

Banana e uva, principalmente, que não podem pegar quentura. De manhã a banana está madura e de tarde ela já tá é preta de tanto sol. Estou perdendo, por dia, 30% da minha mercadoria”, reclama Josileia.

Eles cobram uma estrutura nas laterais que possa evitar a incidência solar sobre a mercadoria: “Se fosse uma cobertura que eles colocassem uma proteção nas laterais para evitar o sol e a chuva, seria bem melhor. Não tem a menor condição de ficar desse jeito. Está bem pior do que estava antes”, atesta Josilene.

Sombrinhas são usadas para evitar o sol

O que confirma o problema apontado pelas irmãs Josilene e Josileia é a grande quantidade de comerciantes usando sombrinhas embaixo da construção do novo teto, que já está em fase de finalização e acabamento. Todo mundo acaba encontrando uma alternativa para amenizar os prejuízos causados pelo sol, inclusive cobrindo a mercadoria com plástico ou papelão.


Enquanto isso, quem sofre são os permissionários, que apesar da reforma, continuam prejudicados: “Se eles fizessem uma coisa legal, ia ficar muito bonito. Porque de fato está ficando bonito, mas não adianta ter uma coisa lá linda e majestosa, mas que não funciona de jeito nenhum, né?”, finaliza Josileia.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

 

Fonte: Lindalva Miranda e Lucrécio Arrais