Pesquisa descobre minissapo que chega a 15mm quando adulto;veja

Animal de 15 milímetros habita restinga no litoral capixaba

Um grupo de pesquisadores liderado pelo brasileiro Pedro Peloso, do Museu Americano de História Natural, em Nova York, descobriu uma nova espécie de minissapo em uma restinga no Parque Estadual Paulo César Vinha, na região litorânea de Guarapari (ES).


Pesquisa descobre minissapo que chega a 15mm quando adulto

Os adultos medem cerca de 15 milímetros de comprimento e são da mesma família dos populares sapos-cururu, apesar de não terem as glândulas de veneno que caracterizam esse grupo.

O animal ganhou o nome de Melanophryniscus setiba, já que a região onde o bicho vive também é conhecido como ?Restinga de Setiba?.

Peloso, que atualmente faz doutorado em biologia, explica que a descrição da espécie foi um processo demorado, que começou em 2005, quando ainda era estudante de graduação. ?Por se tratar de um bicho bem distinto, foi difícil de alocar ele num gênero. Por isso foi necessário fazer uma análise de DNA?, conta. Também foi feita uma série de análises da anatomia interna do anfíbio.

O sapinho possui coloração amarronzada que dificulta sua observação no ambiente natural. Ele vive no chão da floresta, entre as folhas. Para poder estudá-lo, a saída foi instalar baldes no chão para que exemplares caíssem dentro, técnica comum para esse tipo de pesquisa.

?As restingas são ambientes altamente ameaçados, principalmente pela expansão imobiliária e ocupação desordenada das praias. A descoberta dessa nova espécie serve de alerta para a urgência de mais estudos e preservação das restingas?, diz o pesquisador.

A identificação da nova espécie, publicada no periódico ?American Museum Novitates,? foi possível graças à colaboração do Museu Americano de História Natural de Nova York, do Museu Argentino de Ciências Naturais, da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp), da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes).

Fonte: G1