Pesquisa diz que maioria foi às ruas de SP contra corrupção

De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, esse foi o motivo citado por quase metade dos entrevistados (47%).

Pesquisa Datafolha feita durante o protesto contra o governo Dilma Rousseff (PT) no último domingo, em São Paulo, constatou que a maioria dos manifestantes foi ao ato para reivindicar o fim da corrupção. De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, esse foi o motivo citado por quase metade dos entrevistados (47%).

Em segundo lugar aparece a intenção de pedir o impeachment da presidente Dilma, mencionado por 27% dos manifestantes. Protestar contra o PT ficou em terceiro lugar, com 20%, e contra os políticos em quarto lugar, com 14%. Os entrevistados poderiam oferecer mais de um motivo para o protesto.

Entre os entrevistados, 82% declararam ter votado em Aécio Neves (PSDB) no segundo turno da eleição presidencial de 2014, 37% manifestaram simpatia pelo PSDB e 74% participavam de protesto na rua pela primeira vez.

Protesto pela Petrobras

Na sexta-feira, o instituto fez uma pesquisa semelhante em ato organizado pelas forças sindicais em defesa da Petrobras. Na ocasião, 71% dos entrevistados se disseram eleitores de Dilma. As principais motivações foram protestar contra perdas de direitos trabalhistas (25%), por aumento salarial para professores (22%), por reforma política (20%) e em defesa da Petrobras (18%). A defesa de Dilma foi citada por apenas 4% dos entrevistados.

No ato liderado pela CUT, 68% dos manifestantes tinham ensino superior. Na manifestação de domingo, esse número era de 76%.

A renda média do domingo era mais alta, já que 41% dos entrevistados declararam receber mais de 10 salários mínimos ante 12% no protesto da sexta-feira.

Em comum, os dois atos defenderam amplamente a democracia e criticaram o Congresso, classificado como ruim ou péssimo para 61% dos manifestantes de sexta e 77% dos manifestantes de domingo.

Fonte: Terra