Pesquisas derrubam ideia de que frio causa gripe

Em relação aos resfriados e gripes, eles não têm relação com mãos e pés frios

Quem, desde criança, não foi advertido a não engolir o chiclete porque ele gruda no estômago? A não andar descalço, pois frio causa resfriado? E não comer à noite sob risco de engordar? Teriam as recomendações algum fundo de verdade? Não, segundo os pesquisadores americanos Aaron Carrol e Rachel Vreeman, que lançaram, nos EUA, o livro Não engula o seu chiclete - mitos, meias verdades e mentiras sobre o corpo e a saúde. O gastroenterologista José Figueiredo Penteado, professor da UFRJ, concorda quando os pesquisadores afirmam que é mentira a história do chiclete: "O aparelho digestivo elimina todos os objetos estranhos".

Em relação aos resfriados e gripes, eles não têm relação com mãos e pés frios. Estas doenças são, na verdade, consequência do fato de as pessoas se aglomerarem em locais fechados para escapar do frio e se tornarem mais passíveis de "pegar" o vírus de quem está ao lado, diz o livro. Outro dos trabalhos citados foi feito na Suécia e revelou que o ganho de peso está ligado apenas à quantidade de calorias consumidas ao longo do dia, e não ao horário - engorda-se do mesmo jeito, de dia ou à noite.

Mais uma das supostas verdades é a de que cortar o cabelo o faz crescer mais forte e rápido. "O cabelo é composto por células mortas, portanto o corte não interfere. Ocorre é que quando se corta com frequência o crescimento é mais observado, dando a impressão de que os fios crescem mais", esclarece a dermatologista Regina Schechtman, da Santa Casa de Misericórdia.

Ideias em que muitas mães acreditam

Quem é mãe já ouviu dizer que a febre pode ser sintoma do nascimento de dentes no bebê, mas Aaron e Rachel garantem que é mito. "Realmente existe este conceito, mas não é correto afirmar que a febre é um sintoma da erupção dentária. O bebê poderá ter período de irritabilidade, pois pode haver incômodo local onde nascerá o futuro dentinho", explica Alberto Chacur, chefe da pediatria do Hospital São Vicente de Paulo.

Outro mito apontado é o de que mulheres que amamentam podem consumir bebidas alcoólicas moderadamente. Segundo Chacur, o álcool passa pelo leite materno e pode causar danos ao bebê. "Além disso, o consumo de bebidas alcoólicas altera os níveis hormonais que favorecem a lactação. Por isso deve ser evitado durante o período", alerta. Outro mito apontado é o de que açúcar deixa a criança hiperativa. "Não há comprovação científica que sustente essa tese", diz o pediatra.

Fonte: Terra, www.terra.com.br