Imóveis do "Minha Casa Minha Vida" são vendidos ilegalmente em THE

De acordo com moradores, a venda de casas no local acontece de forma indiscriminada.

Um grupo de moradores dos conjuntos residenciais Sigefredo Pacheco I e II procurou o Jornal Meio Norte para fazer uma grave denúncia. Segundo eles, muitas das casas do conjunto habitacional, que

fica no Vale do Gavião, zona leste da cidade, não estão beneficiando de fato os públicos para os quais foram projetadas. Várias delas, inclusive, já teriam sido vendidas ilegalmente pelas pessoas que foram

contempladas nos sorteios das unidades habitacionais.



De acordo com os moradores, a venda de casas no local acontece de forma indiscriminada. ?Já vi pessoas oferecerem casas aqui do conjunto por preços que variam de R$ 8 a 10 mil?, afirmou a balconista Élita Ferreira de Sousa. As denúncias vão além, e afirmam ainda que já houve casos em que uma mesma casa foi vendida duas vezes ? os dois compradores chegaram no imóvel no mesmo dia, e a pessoa que vendeu a casa teria desaparecido com o dinheiro de ambos. Os moradores questionam também a condição de alguns contemplados com residências nos conjuntos Sigefredo Pacheco I e II.

Segundo eles, há donos de casa na região que possuem dois ou mais carros, e o mais grave ? estariam utilizando as residências como casas de final de semana, destinadas apenas ao lazer. ?Aqui tem muita gente que ganhou casa e que, no entanto, não é de baixa renda. Não acredito que quem tem dois carros seja uma pessoa de baixa renda ou que não tenha moradia?, afirmou a moradora Jordânia Maria.

Élita e Jordânia fazem parte de um grupo de pelo menos 300 pessoas que, ao verem as casas desocupadas, resolveram morar nas mesmas. ?Essas casas já foram sorteadas e os moradores não aparecem. Então resolvemos ocupá-las. No entanto, temos a intenção de tentar junto a Caixa e a Prefeitura uma legalização da nossa situação aqui. Fazemos isso porque essas casas têm que beneficiar a quem realmente precisa, e nós precisamos?, disse Élita.

Os moradores alegaram que já fizeram inscrições junto a programas habitacionais do programa Minha Casa Minha Vida, mas que ainda não conseguiram ser contemplados.

Fonte: Dowglas Lima