Estado do Piauí é pioneiro em formar rede contra droga

Estado do Piauí é pioneiro em formar rede contra droga

O debate é sempre importante porque é nele que surgem as novas possibilidades de tratamento, que surgem as novas formas de prevenção

Os participantes e convidados de outros Estados que estiveram no V Fórum Sobre Drogas do Estado

do Piauí, realizado na sextafeira e no sábado no Tribunal de Justiça, organizado pela Fazenda da Paz, Senad (Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas) e Fennoct (Federação Norte e Nordeste de Comunidades Terapêuticas) foram unânimes em des tacar que o Piauí é pioneiro no Brasil na formação de rede de integração entre sociedade, governo e veículos de comunicação no combate às drogas e pela melhoria da qualidade de vida dos dependentes químicos.

?A questão das drogas é importante na vida de todas as pessoas porque não tem ninguém que, de alguma forma, não conheça ou não tenha notícia de um problema de droga em uma família, no trabalho ou na própria comunidade. O debate é sempre importante porque é nele que surgem as novas possibilidades de tratamento, que surgem as novas formas de prevenção. É através do debate que se forma as redes de proteção, é quando diferentes pessoas discutem que devem ser somados esforços para prevenir e melhorar as condições de tratamento?, declarou a secretária nacional de Políticas sobre Drogas, Paulina Duarte.

?O Piauí é pioneiro na questão das drogas porque vem fazendo há alguns anos um trabalho muito interessante, esse trabalho das organizações sociais em parceria com o Governo e veículos de comunicação é um trabalho digno de ser tomado como modelo por outros Estados. Eu visitei uma fazenda (comunidade terapêutica Luz e Vida, da Fazenda da Paz) e fiquei impressionada, não apenas com a beleza do local, mas principalmente com a proposta de trabalho e de reinserção social?, falou Paulina Duarte.

O criador e coordenador da Fazenda da Paz, Célio Luiz Barbosa, afirmou que a droga hoje atinge as casas dos ricos, dos pobres, é um problema social. ?Nós estamos provocando um diálogo porque precisamos da união de todos, de toda a sociedade, dos trabalhos governamentais e não-governamentais vamos dar qualidade de vida às pessoas que enfrentam esse problema?, falou Barbosa.

A secretária estadual de Saúde, Lilian Martins, disse que a abordagem multissetorial sobre as drogas ajuda no enfrentamento do problema. ?Sem botar o dedo na ferida nós não vamos conseguir combater esse problema.

Precisamos de uma abordagem aberta como a que este fórum propõe. Tenho certeza que vamos colher muitos frutos?, disse a secretária estadual de Saúde. Lilian Martins falou que as comunidades terapêuticas não podem deixar de ser reconhecidas como importante instrumento de tratamento de dependentes. ?É uma forma de acolhimento, e todas as forma precisam de tratamento específico?, declarou.

Fonte: JMN