Piauí é referência no atendimento às crianças com microcefalia

Cerca de 58 municípios deverão receber oficinas sobre o tema.

Durante três dias, a Secretaria de Estado da Saúde promoveu as Oficinas de Estimulação Precoce, reunindo 256 profissionais de saúde que integram as equipes do Núcleo de Apoio Saúde da Família (Nasf), Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), das 11 Regionais de Saúde. As oficinas objetivam a capacitação multiprofissional para o atendimento às crianças com microcefalia, descentralizando o serviço para todo o Piauí. Com mais esse avanço, o Estado passa a ser referência para o Departamento da Atenção Básica (DAB) do Ministério da Saúde.

Em visita às turmas, o secretário de Estado da Saúde, Francisco Costa, ressaltou a importância das oficinas e a contribuição dos profissionais na assistência às crianças. “Temos a certeza de que a partir dessa iniciativa teremos condições de oferecer um suporte maior e mais rápido de atendimento para às mães e às crianças com microcefalia. O Piauí vai se manter em alerta auxiliando a população com atendimento adequado de saúde”, afirmou o gestor, garantindo ainda que o “Estado vai equipar os 58 municípios com salas de estimulação precoce”.

Com esta iniciativa, a descentralização dos serviços vai encurtar a distância entre o atendimento de saúde e o paciente, evitando deslocamento de famílias do interior para a capital Teresina.  “A capacitação dos profissionais de saúde foi de fundamental importância porque, de modo geral, as crianças com microcefalia precisam de atendimento três vezes por semana por um período de 3 anos, tempo mínimo necessário para tratamento de estimulação precoce e esse atendimento poderá ser feito nas cidades do interior”, reforça Dilia Falcão, gerente de Atenção Básica da Sesapi.

As oficinas foram realizadas em parceria com o Centro Integrado de Reabilitação (Ceir) e com as instituições privadas de ensino superior Facid e Uninovafapi, com atividades práticas nas áreas de fonoaudiologia, psicologia, terapia ocupacional e fisioterapia.

Microcefalia

No último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, o Piauí manteve os dados da semana passada, quando foram notificados 154 casos suspeitos de microcefalia associados a processo infeccioso. No entanto, os dados atualizados na última segunda-feira (18) mostram que as investigações aumentaram de 21 para 25 casos, o que elevou os descartes: de 57 para 60, confirmando 73 casos.

O aumento no número de descartes mostra que o trabalho realizado pelos profissionais de saúde tem feito o Piauí avançar no combate à microcefalia. Com a descentralização dos serviços, os casos notificados em 58 municípios poderão agora contar com atendimento mais próximo de casa, trabalho que mostra eficiência no diagnóstico e fortalecimento na assistência.

As oficinas objetivam a capacitação multiprofissional para o atendimento às crianças com microcefalia
As oficinas objetivam a capacitação multiprofissional para o atendimento às crianças com microcefalia


Fonte: Ascom