Piauí já atingiu 52,11% da meta de vacinação contra poliomete; veja

Piauí já atingiu 52,11% da meta de vacinação contra poliomete; veja

Há cinco anos a cobertura vacinal mínima exigida pelo Ministério da Saúde, que é 95%, não era atingida no Estado

O Piauí já alcançou 52,11% da meta de vacinação contra a poliomielite, o que significa que das 254.147 crianças que devem ser imunizadas, 132.437 já tomaram pelo menos uma dose da vacina. Os dados são do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações.

A segunda etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite 2011 teve início no último sábado, dia 13, e segue até o dia 16 de setembro, quando vai estar sendo oferecida a segunda dose da vacina contra a pólio ou paralisia infantil. Mesmo quem já tomou a 1ª dose deve ser vacinado na segunda etapa.

Junto com a campanha de vacinação contra a poliomielite está acontecendo também a segunda etapa da vacinação contra o sarampo, que segue na mesma data no Piauí e em mais 18 estados. Na primeira etapa de vacinação contra a pólio, o Piauí atingiu 98,20% da meta. Há cinco anos a cobertura vacinal mínima exigida pelo Ministério da Saúde, que é 95%, não era atingida no Estado.

A poliomielite é uma doença infectocontagiosa grave. Na maioria dos casos, a criança não morre quando é infectada, mas adquire sérias lesões que afetam o sistema nervoso, provocando paralisia, principalmente nos membros inferiores. A doença é causada e transmitida por um vírus (o poliovírus)

e a infecção se dá, principalmente, por via oral.

O Brasil está livre da circulação do Poliovirus Selvagem há 22 anos. Em 1994, o país obteve o Certificado Internacional de Erradicação da Transmissão Autóctone e, desde então, comprometeu- se a manter altas coberturas vacinais, maiores ou iguais a 90%.

A partir de 2005, essa meta foi alterada para 95% do público-alvo. O último caso de poliomielite no Brasil foi registado em 1989, na Paraíba. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), 26 países ainda registram casos da doença. Quatro deles, Afeganistão, Índia, Nigéria e Paquistão, são endêmicos, ou seja, possuem transmissão constante.

Fonte: JMN, www.jornalmn.com.br