Piauí realiza conferência de combate às drogas na Fiepi

Com o tema “Mobiliza para Construir”, a conferência objetiva fazer uma análise da situação política das ações, de modo participativo

O enfrentamento às drogas é uma das ações que vêm ganhando mais visibilidade nos últimos anos. E é com o intuito de analisar a atual conjuntura política desenvolvida sobre a temática que o Conselho Estadual de Políticas Públicas sobre Drogas, por meio da Coordenadoria Estadual de Enfrentamento às Drogas (CEDrogas), deu início ontem (21) à I Conferência Estadual de Políticas Públicas sobre Drogas. O evento, que se estende até hoje às 18h, está sendo sediado no auditório da Federação das Indústrias do Estado do Piauí (Fiepi).

Com o tema ?Mobiliza para Construir?, o encontro objetiva fazer uma análise da situação política, de modo participativo, além da consolidação de uma política efetiva sobre drogas no Piauí.

Participam da conferência ONGs, entidades, sociedade civis, comunidades terapêuticas, a exemplo da Fazenda da Paz, Fazenda da Esperança e Casa do Oleiro.

De acordo com o gerente de Políticas Públicas da CEDrogas, Ricardo Cruz, poucos estados realizaram conferências dessa tipologia. ?Só existe um estado que tem um Conselho tão bem estruturado como esse, que é o de Minas Gerais.

Que já realizou 6 conferências. E Tocantins só realizou uma. Nós somos o terceiro estado?. Porém, no estado, já foram feitas conferências municipais em cidades como Floriano, Piripiri, Campo Maior e Castelo do Piauí.

Ricardo frisa que, antes de se discutir sobre drogas, é preciso também ampliar o conceito relacionado a elas, já que ?a questão do consumo das drogas é complexa.

A droga não é um problema, e nem vai ser, porque a droga é um objeto inanimado. O problema é o que tem impulsionado a juventude, as pessoas a usarem compulsivamente. E ampliar o conceito de drogas é fundamental?, pontua o gerente de Políticas Públicas da CEDrogas.

Os debates a serem discutidos no evento giram em torno de eixos como Prevenção, Tratamento, Recuperação e Reinserção Social, Repressão, Capacitação e Pesquisa Sobre Drogas e Dependência Química.

Para enriquecer ainda mais as discussões associadas a esses assuntos, a abertura da conferência contou com a participação do secretário Nacional de Políticas Públicas Sobre Drogas, Victore Maximiano, e do coordenador Nacional de Saúde Mental, Roberto Tykanori.

Na oportunidade, possivelmente será assinado o Termo de Cooperação do Fundo Nacional Sobre Drogas (Funad) com a Secretaria Nacional de Política sobre Drogas.

O termo propiciará ao estado do Piauí receber recursos advindos de apreensões de bens relacionados ao tráfico de drogas, que serão investidos em prevenção, tratamento, reinserção social e repressão ao uso de drogas. ?O termo de cooperação está em andamento, já está para ser assinado.

Em alguns estados já existe. E eles, por exemplo, fazem leilões, a partir desses leilões consegue-se 3 milhões. Esses 3 milhões vão para o Fundo Nacional sobre Drogas (Funad), que o governador do estado conseguiu regulamentar.

É um processo devagar, mas a gente poderia fazer leilão com um monte de coisa que tá por aí?, disse o gerente de Políticas Públicas da CEDrogas.

Fonte: Wherika Carvalho