Piauí recebe R$1,8 bilhão em investimentos de energia renovável

Foram mostrados ao Governador os investimentos em energia eólica que estão sendo realizados no Piauí


O governador Wellington Dias se reuniu, na manhã desta quarta-feira (11), com representantes da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), Eletrobras Distribuição Piauí, Casa dos Ventos e da empresa Contour Global Latam (maior empresa de investimento em energia eólica da América Latina).

De acordo com a Ceo da empresa Contour Global Latam, Alessandra Marinheiro, durante a reunião foi apresentado ao governador do Estado, os projetos de investimentos em energia eólica que estão sendo realizados no Piauí. “Somos a Contour Global que, em parceria com a Chesf, estamos investindo em torno de R$1,8 bilhão em projetos eólicos na região da chapada do Piauí, nos municípios de Marcolândia, Simões e Padre Miguel. Esses investimentos estão em andamento e os parques entram em operação neste ano ainda, contribuindo com a geração de energia para o país no momento crítico que o mesmo precisa de energia e viemos agradecer ao governador e ao Estado por nos receber e apoiar um investimento tão importante para o Brasil e para o Estado”.

De acordo com o governador Wellington Dias, o Piauí tem um grande potencial para receber esses investimentos, que não se limitam somente na questão da energia renovável, mas também na questão social, gerando emprego e renda para a sociedade.

“O Brasil vive hoje uma escassez de energia e o Piauí, na divisa com o Ceará, Pernambuco, Bahia, Tocantins e Maranhão, tem um potencial gigante. Aqui no Piauí, o grupo faz um investimento de R$1,8 bilhão para a geração de energia. É um investimento da ordem de R$6 bilhões com varias empresas que ali na região de Marcolândia, Caldeirão Grande, Simões, Curral Novo, Caridade e Queimada Nova já estão em fase de investimento, gerando emprego e renda para as sociedade, gerando também uma parceria social. Uma delas na área da educação, para que tenhamos o apoio financeiro para instalar qualificação profissional, para termos profissional para trabalhar nesta área. Além da qualificação dos nativos para diversos arranjos produtivos”, explicou o governador.

Durante a discussão, Wellington Dias ressaltou sua paixão por energias limpas, destacando que acredita que o Estado tem um potencial para ter riquezas econômicas a partir de todas as matrizes energéticas.

“Sempre tive uma paixão muito grande por energias limpas, energias renováveis. Ainda quando vereador, deputado estadual, acompanhei um projeto que iluminou vários pontos da cidade de Lagoa do Barro, na região de São João do Piauí, que ficava a 100 quilômetros do ponto de energia. Aliás, naquela época foi capa da revista Veja e, se não me falha a memória, foi um vaqueiro encourado assistindo televisão a partir de energia solar que abastecia o posto de saúde, iluminava a praça, que garantia as condições de um televisão. Até que veio a energia elétrica, por coincidência quando eu fui governador. Devo assim dizer da minha paixão, acho que o Piauí tem condições de ter uma riqueza econômica espetacular a partir do Sol, de energia solar, do vento de energia eólica, da água, energia hidrelétrica, da produção com plantas, de biomassa e da termoelétrica, a partir do gás e petróleo e também do álcool”.

Sobre os Parques: O Complexo é composto por 3 grandes parques:

• Chapada do Piauí I, com 205MW de capacidade instalada, sendo 36% CG, 15% CdV e 49% Chesf com energia vendida no leilão LER de 2013;

• Chapada do Piauí II, com 172MW de capacidade instalada, sendo 46% CG, 5% CdV e 49% Chesf com energia vendida no leilão A-3 de 2013;

• Chapada do Piauí III, com 60MW de capacidade instalada, sendo 100% CG com energia vendida no leilão LER de 2013. Os projetos tem data contratada para entrada em operação:

• Chapada do Piauí I : 1 de setembro de 2015

• Chapada do Piauí II: 1 de janeiro de 2016 • Chapada do Piauí III: 1 de janeiro de 2016

• Os projetos representam um investimento total de R$1,8 bilhão, sendo que aproximadamente R$1,6 bilhão será financiado pelo BNDES e por emissão de debentures de infraestrutura.

• Atualmente já foi investido um total de R$1,2 bilhão entre capital próprio e empréstimos ponte.

• Com capacidade instalada total de 437MW e um fator de capacidade médio de 55%, o Complexo Eólico Chapada do Piauí tem capacidade para abastecer 1.000.000 de residências.

Incremento na arrecadação Municipal nas localidades onde os projetos se instalarão, sendo somente a arrecadação de ISS durante as obras estimada em R$4 milhões.

Dinamização da economia local através da contratação de mão de obra, serviços locais e compra de materiais no Estado. Sendo criados 700 empregos diretos e 2.000 indiretos.

Criação de renda permanente através dos contratos de arrendamento de terra em montante de R$4 milhões por ano. Sendo R$80 milhões ao longo dos 20 anos de contrato.

Diversos projetos de educação ambiental e segurança no trânsito sendo desenvolvidos com a população local.

 

 

Fonte: Portal MN