Piauí tem 329 presos monitorados por tornozeleiras eletrônicas

Taxa de êxito chega a 80%.

As tornozeleiras eletrônicas têm sido um dispositivo visto como uma alternativa para a redução da lotação nas penitenciárias em todo o Brasil

A tecnologia destes equipamentos inclui um GPS para determinar a localização por satélite e um modem para transmissão de dados por sinal de celular. Todas as informações são passadas, em tempo real, para uma central de monitoramento. 

A técnica da Secretaria Estadual de Justiça, Luana Monteiro, explica que o setor de monitoramento da Sejus atualmente acompanha 329 sentenciados que receberam o beneficio da prisão domiciliar no Piauí.

“O monitoramento é um setor executivo, quem decide quem usará as tornozeleiras eletrônicas é o Poder Judiciário e a Secretaria de Justiça entra com a parte executória da decisão judicial. Nós temos no estado 329 tornozeleiras aplicadas em Teresina, Luis Correia e Parnaiba e temos uma taxa de êxito de 80%”, disse Luana Monteiro. 

De acordo com a Sejus, os monitorados que retiram a tornozeleira ou a deixam descarregar totalmente têm um novo pedido de prisão expedido pelo Judiciário e perdem o direito à prisão domiciliar. 

Tornozeleira eletroônica (Crédito: Reprodução)
Tornozeleira eletroônica (Crédito: Reprodução)


Fonte: Portal Meio Norte