Piauiense de 24 anos sobrevive a naufrágio no Lago Paranoá (Brasília)

Piauiense de 24 anos sobrevive a naufrágio no Lago Paranoá (Brasília)

\"Foi desesperador, mas todos que estavam lá foram muito solidários\

Os bombeiros que trabalham na busca de vítimas do naufrágio ocorrido no domingo no Lago Paranoá, em Brasília, encontraram mais um corpo, na tarde desta terça-feira (24). Com isso, sobe para oito o número de mortos confirmados no acidente. Há pelo menos mais duas pessoas desaparecidas, segundo os bombeiros.

A piauiense Priscila Galvão Plácido Ferreira, 24 anos, que mora há 10 anos em Brasília estava a bordo do barco e teve ferimentos leves. Priscila, que machucou o joelho no acidente, conta que ficou pendurada em uma barra de ferro com pelo menos mais dez pessoas. Como não sabia nadar, ficou de colete até ser resgatada. "Foi desesperador, mas todos que estavam lá foram muito solidários", relembra. Ela é natural de São Raimundo Nonato.

Segundo os bombeiros, o corpo encontrado é de uma mulher. Mais cedo, dois corpos já haviam sido localizados pelos mergulhadores. As buscas devem continuar enquanto houver luz natural. Caso não sejam encontrados os demais desaparecidos, os bombeiros devem retomar as buscas na manhã desta quarta-feira.

Nesta tarde foi foi realizado o primeiro enterro de uma vítima do naufrágio ? a da irmã da empresária que promovia a festa no barco. ?É uma injustiça. Eu sou velha, eu que deveria ter ido?, dizia, inconformada, a avó da garçonete durante o sepultamento.

As buscas são feitas por uma equipe de 40 mergulhadores, que se revezam a cada 40 minutos nas buscas. Até as 13h desta terça, os mergulhadores já haviam feito buscas em uma área de 75 mil metros quadrados, o equivalente a sete campos de futebol.



Con informações do G1

Fonte: São Raimundo.Com, www.saoraimundo.com