Polícia Militar admite erro em caso de jovem estudante multada que tentou fumar dinheiro

Polícia Militar admite erro em caso de jovem estudante multada que tentou fumar dinheiro

Exame do bafômetro deveria ter sido feito, disse delegado de trânsito. PM disse que será aberto um inquérito para apurar conduta dos policiais

A Polícia Militar admitiu que houve erro durante a abordagem da estudante de direito que foi flagrada sem habilitação e visivelmente embriagada na manhã desta sexta-feira (17), em Vitória. Segundo o major Cleber Bongestab, diante dos indícios de crime, a jovem Luiza Gomes, de 19 anos, deveria ter sido conduzida ao Departamento de Polícia Judiciária (DPJ), o que não aconteceu. O titular da Delegacia de Delitos de Trânsito, delegado Fabiano Contarato, disse que vai intimar a estudante e que pretende indiciá-la. A reportagem passou a tarde tentando entrar em contato com Luiza, mas não obteve retorno.

A estudante foi multada após o flagrante. Durante a abordagem, ainda sob efeito de álcool, a estudante tentou fumar uma nota de R$ 50, confundindo com um cigarro, e tentou ligar o carro usando um canudo, acreditando usar a chave do veículo. "É lógico que eu bebi, bebi um pouco como qualquer pessoa da festa bebeu", disse.

De acordo com Bongestab, será aberto um inquérito administrativo para apurar a conduta dos policiais. "O que nos deixa um pouco preocupados é em relação à conduta que a própria guarda apurou depois, que a estudante não é habilitada. Esse é o tipo de situação em que devo analisar por que não foi feita a condução da jovem até o DPJ", falou.

"A gente chegou no local e só verificou o carro estacionado de forma irregular. Então o agente de trânsito ou o policial só pode fazer a multa de um fato que ele viu, flagrou. Aí ele emite o auto de infração. No mais, ele estaria cometendo uma irregularidade", justificou o gerente de trânsito de Vitória, José Roque.


PM admite erro em caso de jovem que tentou fumar dinheiro

Intimação

Segundo Fabiano Contarato, o exame do bafômetro deveria ter sido feito. "Infelizmente não a levaram para fazer o exame do bafômetro, então não posso indiciá-la por dirigir embriagada. É isso que tento mudar, para que a lei tenha valor, mas é complicado. Mas já reuni as imagens divulgadas pela imprensa e, na próxima semana, vou intimá-la", disse.

"A intenção é indiciá-la por direção perigosa e, caso eu confirme que ela não é habilitada, indiciá-la também por dirigir sem a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). A pena por dirigir sem habilitação pode chegar a três anos. Além disso, vou pedir uma medida cautelar, para que futuramente o Detran não emita a carteira para esta estudante", falou.

Multa

O carro que a estudante dirigia está no nome da mãe e foi removido do local. Ela foi multada por ter deixado o carro em local inadequado. Como argumento para se livrar da situação, Luiza Gomes, de 19 anos, disse ser conhecedora das leis e que sempre encontra brechas para casos como o dela.

A garota ainda tentou se livrar da abordagem. "Essa questão de beber e dirigir, qual a eficácia da lei? Não existe eficácia. A partir do momento que a gente vê que tem alguma brecha, a gente se aproveita daquilo. Nós, estudantes de direito, tentamos nos aproveitar disso", disse.

"Ela não está em condições de dirigir, por isso vamos tentar encontrar o endereço dela para levá-la em casa. As pessoas têm que saber como se divertir, hoje em dia elas saem e terminam nesse estado", explicou tenente Salles, da Polícia Militar.

Fonte: G1