Poderes conseguem aumento de recursos no Orçamento do Estado

elator do Orçamento Geral do Estado, deputado Antonio Félix, explicou ontem que os Poderes terão um aumento nos recursos que serão aplicados no próximo ano

O relator do Orçamento Geral do Estado, deputado Antonio Félix (PSD), explicou ontem que os Poderes terão um aumento nos recursos que serão aplicados no próximo ano. Os valores inicialmente previstos para os Poderes foram corrigidos, a pedido dos seus representantes, após reuniões com o relator. Félix ressalta que a receita do Estado para 2015 foi estimada em R$ 8.606.731.787,00, o que equivale a 8,11% a mais que o Orçamento deste ano.

Pela proposta, o Executivo leva a maior fatia do orçamento, com R$ 7.589.158,077. Para a Assembleia Legislativa estavam previstos R$ 271.404.750,00, mas o valor fixado chegou a R$ 296.454.000. Para o Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI), havia a previsão de R$ 87.903.866,00, que foi elevada para R$ 97.423.000,00.

Para o Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI), o orçamento estabelecida o repasse de R$ 395.723.861,00, valor que foi elevado para R$ 464.222.748,00. Já o Ministério Público do Estado tinha previsão orçamentária de R$ 149.598.555,00.

O valor fixado para o MPE foi de R$ 180.583.846.
Antonio Félix (PSD) ponderou que vem conversando com os presidentes de todos os Poderes para ouvir deles as suas reivindicações em relação ao Orçamento. O Orçamento Geral do Estado foi encaminhado pelo governador Zé Filho no dia 29 de setembro. Os deputados só podem entrar em recesso após a votação do projeto.

Pelo menos 50% das receitas estimadas ( R$ 4,6 bilhões) são resultado de transferências de recursos, seguido da arrecadação do Estado obtida com a cobranças de tributos. A estimativa é de R$ 3,7 bilhões arrecadados em impostos em 2015. O Governo traça como metas o crescimento da economia regional e a redução das desigualdades sociais no Piauí tendo como base a série história de arrecadação dos últimos seis anos do Estado.

Clique aqui e curta a página do meionorte.com no Facebook

 

Fonte: Savia Barreto