Polícia faz buscas por adolescente desaparecida

A família tentou contato pelo telefone da menina, mas desde a data do sumiço o celular só da desligado.

Assim que saiu de casa no último dia 15 de janeiro, a jovem Vitória Marques Tostes, de 18 anos, desapareceu no Ingá, em Niterói, na Região Metropolitana. A família tentou contato pelo telefone da menina, mas desde a data do sumiço o celular só da desligado. Então, amigos e parentes optaram por usar as redes sociais para tentar encontrar a adolescente, que aparece sorridente nas fotos divulgadas na internet. Ela fazia o projeto de Educação de Jovens e Adultos (EJA). A polícia investiga o caso.



A mãe da desaparecida, a funcionária pública Dalva Marques Pedro, de 51 anos, registrou o caso ontem na 76ª DP (Niterói). De acordo com o delegado Mário Luiz da Silva, que está respondendo pela 76ª DP, as diligências já estão sendo feitas para que se chegue a localização da menina, mas não é possível afirmar que houve sequestro porque ninguém entrou em contato com os familiares solicitando resgate. O responsável pela distrital disse ainda que os procedimentos de praxe estão sendo adotados.

A família, que vai espalhar cartazes por Niterói, São Gonçalo e Itaboraí, já foram nos hospitais da cidade e até no Instituto Médico Legal (IML), mas não há registro que Vitória tenha passado por esses lugares. Segundo Dalva, a filha não tinha inimizades e, pelo contrário, possuí vários amigos. "Estou desesperada. Somos só eu e ela aqui. Sou pai e mãe. Preciso da ajuda de todo mundo", suplicou a funcionária pública, que também é mãe de outro adolescente, mas ele não mora com a dupla.

Além disso, Dalva disse que o comportamento da jovem estava normal. No entanto, no dia em que sumiu a adolescente não passou no trabalho dela como costumava fazer. "Eu estranhei por esse motivo", acrescentou. Somente no facebook, rede de relacionamento usada por amigos e parentes para encontrar a jovem, mais de cinco mil pessoas já compartilharam a foto.

Fonte: O Dia Online