Polícia indicia suspeito de agredir garoto que teve perna amputada

Segurança, que é réu primário, foi indiciado por lesão corporal gravíssima

O inquérito sobre o caso do jovem que teve uma perna amputada após um incidente na saída de uma casa noturna no mês de maio, em Curitiba, foi concluído. O delegado Rogério Martin de Castro, do 3º Distrito Policial (3º DP), concluiu que ?houve ação por parte do segurança que causou a queda da vítima?. Por causa da queda, o rapaz de 18 anos precisou amputar a perna.

O delegado entregou o inquérito ao Ministério Público do Paraná na terça-feira (4). O segurança foi indiciado na última quinta-feira (29), quando Castro terminou de estudar o caso, por lesão corporal gravíssima.

Agora, o suspeito deve responder à ação penal em liberdade, já que se apresentou à polícia na época do ocorrido, é réu primário, e não tem antecedentes criminais. A pena de reclusão é de dois a oito anos.

Entenda o caso

O jovem foi até a casa noturna na madrugada do dia 6 de maio e consumiu R$ 60. Na hora de pagar a conta, segundo o advogado, o cartão bancário não teria passado. Sem dinheiro, ele teria se oferecido a entregar o celular ou um documento de identidade. A defesa afirma que o jovem foi agredido pelos seguranças.

A versão da casa noturna é diferente. De acordo com o advogado do bar, ele tentou sair sem pagar a conta. Por esse motivo, os seguranças tentaram contê-lo. Em dado momento, ele e um segurança caíram no chão. No momento do tombo, ele teria quebrado a perna.

O estudante foi internado na Clínica de Fraturas Novo Mundo, na capital, e precisou amputar a perna para evitar infecções. Depois de nove dias, ele recebeu alta e passou tratamento psicológicos.

Fonte: G1