10 jovens fogem por semana no Piauí

Os casos não chegam a ser registrados como “desaparecimento”

A fuga de dois menores de idade, que deixaram a casa dos pais incentivados por um amigo ? maior de 18 anis- ganhou destaque na imprensa local nos últimos dias. O caso ganhou mais notoriedade após zombação dos menores através de sites de relacionamento, mas chama a atenção para esse tipo de comportamento entre os jovens teresinenses. Informações da polícia mostram que a prática não é nem um caso isolado em Teresina.

De acordo com o chefe de investigação da Delegacia Do Menor Vítima, Niltom César Alves, uma média de dez pais procuram a delegacia por semana sem saber do paradeiro de seus filhos. Os casos não chegam a ser registrados como ?desaparecimento?, uma vez que a grande maioria retorna para a casa em uma prazo médio de dois dias.

São adolescentes que por algum motivos desaparecem de casa e assustam os pais, que imediatamente recorrem à polícia. Em muitos casos, os jovens estão na casa de amigos, em bares, motéis ou até mesmo na rua.

Esse tipo de situação pode ser classificada em vários modalidades de ocorrência- todas de natureza semelhante, onde os pais não sabem onde se encontram os filhos , mas que depende da forma em que o menor saiu de casa. Entre elas está o desaparecimento e induzimento de fuga do lar. Juntos, esses tipo de caso registrou 433 ocorrência na Delegacia do Menor Vítima somente esse ano.

Niltom César destaca que a maioria dos casos está relacionado com rebeldia dos jovens, que resolvem fugir por conta de desentendimento com os familiares. ?Mas na hora que o dinheiro acaba eles voltam para a casa?, diz.

Além disso, grande parte dos jovens que resolvem fugir de casa estão envolvidos com drogas ou sexo e, geralmente, são induzidos por outra pessoa. Neste caso, eles saem de casa em busca de aventura, mas também retornam. ?Quando passa o efeito da droga ou que acaba a aventura sexual, os adolescentes voltam para o convívio familiar?.

Fonte: Carolina Durães, Jornal Meio Norte