150 idosos são agredidos por mês em Teresina

O número de casos de violência contra o idoso cresce a cada dia

16/06/2009 - 08:40

O discurso foi feito ali mesmo, na hora. “Fiquei sabendo agora a pouco que eu ia falar”, justifica. Mas mesmo de improviso e com a fala, às vezes, faltando pelo nervosismo, Cândida Cruz Moraes Melo conseguiu dar o seu recado.

A aposentada de 64 anos foi à escolhida para representar todos os idosos do Piauí, ontem (15), durante o Seminário Sobre Enfrentamento à Violência contra a Pessoa Idosa, realizado pela Secretaria de Assistência Social e Cidadania (Sasc), no auditório do Centro Pastoral Paulo VI.

No seu discurso, rápido, mas direto, Cândida fez questão de enfatizar que tudo o que foi colocado no evento é de extrema importância e espera, assim como seus colegas da “melhor idade”, que realmente tudo seja cumprido. “As pessoas precisam respeitar mais os outros e espero sinceramente que isso sirva de incentivo”, comentou.

Representantes de organizações governamentais e não governamentais de proteção ao idoso lotaram o auditório da Pastoral para participar do evento que faz parte das ações do projeto Denunciar, da Secretaria Estadual da Assistência Social e Cidadania (Sasc). Durante esses dois dias (15 e 16), os mais relevantes temas relacionados às pessoas idosas serão debatidos.

“Esse é um tema muito recente de debate. Exatamente por isso precisamos cada vez mais realizar ações dessa natureza. Precisamos conscientizar as pessoas do respeito mutuo. Sensibilizar para denunciar quando vir casos de violência contra as pessoas da terceira idade. Nesses dois dias vamos debater tudo isso, desde a conceituação de violência, até as políticas públicas, o papel dos conselhos de idosos, além dos tipos de crimes e suas penalidades”, informou Fernanda Soares, gerente de proteção de médica complexidade da Sasc.

Financiado pela Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República e executado pela Sasc em parceria com prefeituras, Secretaria Estadual de Segurança Pública, através da Delegacia do Idoso, e Coordenadoria Estadual de Direitos Humanos, o projeto Denunciar teve início em abril, com oficinas formativas para lideranças locais, técnicos e gestores do município de Corrente.

As capacitações ainda estão acontecendo em outros municípios pólos, reunindo participantes de municípios de cada região. Até hoje, quase 50 municípios já foram capacitados. “A meta é capacitar todo o estado para então criarmos um Plano de Ação para o enfrentamento à violência e de estímulo à criação de uma cultura de valorização e respeito da pessoa idosa”, revelou Fernanda. (M.P)

RETRANCA:

É fato que a população mundial envelhece a cada dia. Dados do PNAD de 2006 mostram que no Brasil o número de pessoas com mais de 60 anos já ultrapassa a marca dos 19 milhões, mais de 11% do total de brasileiros. As previsões são de que em 2025 esse percentual passe para 24,5%. Com isso seremos o sexto país do mundo com a maior população idosa.

No Piauí a situação não é diferente, mas infelizmente o panorama atual ainda não é dos melhores. O número de casos de violência contra o idoso cresce a cada dia. Marlos Sampaio, delegado o idoso, foi categórico e afirmou que todos os municípios do estado já registraram violência contra a pessoa idosa.

“Temos uma média de 150 denúncias por mês só na capital. Isso é um número alto, mas por um lado é bom, pois mostra que as pessoas estão denunciando. O grande problema que existia é que esses crimes eram cometidos, mas não tinha onde denunciar. Hoje não. Temos uma rede de proteção ao idoso e já avançamos muito nesse sentido. Claro que ainda temos um extenso caminho pela frente, mas esse é um passo importante que estamos dando”, afirmou.

Marlos revelou que 90% dos crimes contra idosos são golpes financeiros. E pior: “na maioria das vezes tem um familiar envolvido. Isso preocupa, pois a própria família vem realizando essa prática ilegal. Sobretudo, no interior do estado onde os idosos são menos esclarecidos esse golpes vem aumentando muito. A violência contra o idoso se mostra das mais variadas formas e precisamos trabalhar em parcerias. A população precisa colaborar também. A denúncia é a melhor solução”, enfatizou.

E para denunciar é muito simples. Todas as denúncias de violência contra o idoso podem ser feitas através do 0800 280 7845 ou no Centro de Referência e Enfrentamento à Violência contra a Pessoa Idosa (Cevi), localizado na rua São Lourenço, próximo ao cruzamento com a Av. Higino Cunha, na altura da Maternidade Dona Evangelina Rosa. Tem ainda os telefones (86) 3234 6919 e 3217 8334 e o telefone da Delegacia do Idoso, em Teresina, é 3216 5251.

O evento prossegue durante todo o dia de hoje (16) com palestras, mesas redondas e debates. Ainda hoje será apresentado pela professora doutora Simone de Jesus Guimarães a pesquisa “Violência Contra o Idoso em Teresina”. (M.P).

FONTE: Marcos Prado
TÓPICOS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

ver mais+

DEIXE SEU COMENTÁRIO

voltar para o topo