43% defende liberdade de PM que mata bandido, diz pesquisa

Para o levantamento, foram ouvidas 1.082 paulistanos na última quinta-feira.

Um levantamento do Datafolha mostra que, para 43% dos paulistanos, o policial que participasse de um grupo de extermínio fora do horário de trabalho não deveria ser punido se matasse um criminoso. Os resultados da pesquisa retratam o estado da população de São Paulo após a onda de violência que começou em junho e se intensificou em outubro. Para 40% dos entrevistados, esse policial citado deveria ser preso, e 11% acham que ele deveria ser expulso da polícia, mas não preso. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Para o levantamento, foram ouvidas 1.082 paulistanos na última quinta-feira. A insegurança em caminhadas noturnas dobrou em cerca de três meses para os paulistanos (61%) - apenas 11% afirma se sentir seguro ao andar à noite pelas ruas. A zona norte da capital, palco de ataques, é considerada insegura por 83% dos entrevistados. O índice é superior aos das zonas leste e sul, mais violentas do que a região norte. Elas são apontadas como inseguras por 82% e 72%, respectivamente. Já o centro da cidade é considerado inseguro por 75%. A zona oeste, uma das áreas menos violentas, é tida como insegura por 71%. De modo geral, a corrupção policial é apontada como o principal motivo dos ataques para 18% dos paulistanos.

Fonte: Terra