90% dos crimes no Piauí são causados por causa do crack

90% dos crimes no Piauí são causados por causa do crack

Somente no ano passado o Piauí teve 40 quilos de pedras de crack apreendidos.

Um número alarmante, nove a cada dez crimes cometidos no Piauí têm alguma ligação com o crack. As estatísticas só confirmam que o consumo desse entorpecente virou de fato um caso de saúde pública que acaba agravando diretamente os índices criminais.

A situação é preocupante em todos os sentidos, desde o aumento do consumo como também nas questão do tráfico. Todos os municípios do Estado já sofrem com o registro do uso de crack associado a crimes, o que está mobilizando os órgãos públicos.

Mas os números do crack não param por aí. O tráfico de drogas que assola todo o país, principalmente a região sudeste, não exclui o Piauí. Aqui no Estado, 70% de todos os entorpecentes traficados são pedras de crack, o que colabora ainda mais com o elevado índice de criminalidade e com o aumento de outros tipos de agravantes sociais.

Somente no ano passado o Piauí teve 40 quilos de pedras de crack apreendidos. Isso é um número elevado, se considerado que a droga que é derivada da cocaína, em muitos casos, pesa menos de um grama.

Para modificar essa realidade a Secretaria de Segurança Pública do Estado entende que é preciso uma mudança na forma como o problema é tratado, bem como uma concentração de esforços de várias entidades.

?Estamos organizando nossas delegacias em todo o Estado, e também trabalhando em um reaparelhamento dos batalhões e companhias para que seja estruturado todo um sistema de combate a drogas?, relata o secretário Robert Rios Magalhães. Ele explica que essas atitudes já estão sendo colocadas em prática.

Robert aponta que isso é importante porque fará com que não seja apenas uma delegacia trabalhando no combate ao uso e tráfico de crack, como de outras drogas. ?Isso deve incluir todo o corpo de segurança pública do Piauí, e com isso logo teremos toda uma estrutura de combate a drogas no Estado?, considera.

Rios acrescenta ainda um entendimento que essa estrutura deve ser organizada de modo que ?o problema não seja encarado apenas como um caso de polícia, mas sim como um grande mutirão contra a droga no Piauí?.

Para organizar essa rede, a secretaria pretende finalizar todo o trabalho de mapeamento das bocas de fumo ainda este mês. Os trabalhos estão mais intensificados na capital, Teresina, mas que o mesmo também é feito nas mais diversas regiões do Piauí.

?Essa é uma forma de identificar as áreas onde o tráfico é mais intenso?, conta Robert. Além disso vale ressaltar que as academias receberão um curso de capacitação rápido, para tratar de modo correto as apreensões de drogas dentro das delegacias estaduais.

Fonte: Thays Teixeira - Jornal Meio Norte