Suicídio não tem ligação com morte de bandido, diz polícia

Suicídio não tem ligação com morte de bandido, diz polícia

Bandido foi atropelado pela professora do curso de Medicina Mayara Machado na zona Leste

O caso de Antonio Pedro, 41, conhecido como Beto Cachorrão, encontrado morto nesta segunda-feira por volta das 09 horas com sinais de enforcamento, foi considerado pela polícia como uma ocorrência que nada tem a ver com a morte do assaltante Rafael da Costa Bastos (o Miau), 43, atropelado no mesmo dia pela própria vítima do assalto, a professora de medicina da faculdade Novafapi, Mayara Machado. Mayara, que tentava recuperar o dinheiro roubado.

A informação foi dada pelo delegado do 11º Distrito, William Moraes, em razão da divulgação feita por parte da imprensa local de que Beto Cachorrão cometeu suicídio por causa da morte do seu companheiro Miau.

O caso está sendo investigado no 11º Distrito Policial, onde a professora irá prestar depoimento até quinta-feira, 19, sob orientação do seu advogado Leonardo. No mesmo Distrito, Rafael da Costa Bastos respondia a um inquérito desde fevereiro de 2013 sob a acusação de um assalto à mão armada em que levou da vítima R$ 300 mil.

?A professora está bastante abalada. Eu pedi ao Dr. Leonardo, seu advogado, que ela se apresentasse até quinta-feira para tirarmos todas as dúvidas em relação ao fato?, disse o delegado ao considerar que ela, a professora, teve sorte porque ele(o Rafael) não teve apoio dos companheiros. Ele conclui dizendo que sempre há um segundo elemento e, possivelmente, armado.

?Pelo que nos consta a professora vinha ligando o tempo todo, posicionando os seus parentes?, disse coronel Alberto ao afirmar que o correto seria acionar a polícia e passar informações acerca do assaltante para que a polícia desse o devido encaminhamento.







Fonte: Denison Duarte