Acaba seqüestro de empresário em Fortaleza

Policiais encontraram a vítima e o cearense Aristônio Procópio da Silva

Policiais da Divisão Anti-Seqüestro (DAS), da Polícia Civil cearense, ?estouraram? o cativeiro e libertaram na tarde de ontem, no bairro Planalto Ayrton Senna (Pantanal), o comerciante Francisco Damásio Avelino de Sousa Filho, 26. Ele havia sido seqüestrado dentro do mercadinho pertencente à sua família, em Messejana no último dia 12, por dois homens armados. Na operação policial, dois homens foram presos. Com eles, a DAS apreendeu um revólver calibre 38.

O fim do primeiro seqüestro do ano, aconteceu após seis dias de investigações sigilosas comandados pelos delegados Andrade Júnior e Santos Pastor. Ontem, eles localizaram o cativeiro, um casebre na Travessa Gerôncio Bezerra, no Pantanal, e preparam o cerco.

Quando a Polícia chegou ao local, por volta das 15 horas, encontraram a vítima e o cearense Aristônio Procópio da Silva, 18, que fazia a guarda.

Na hora em que os inspetores ?estouraram? a casa, ele ainda tentou fugir, mas não foi muito longe e acabou preso.

Além dele, o paulista Cléber Aparecido Batista dos Santos, 31, foragido da Polícia paulista, responsável pelas negociações com a família da vítima, também foi detido pela Polícia. Os dois homens já tem antecedentes criminais. Cléber, inclusive usava documentos falsos e possui três mandados de prisão em aberto por roubo, em São Paulo. A dupla foi autuada em flagrante pelo crime de extorsão mediante seqüestro.

De acordo com o delegado Andrade Júnior, logo após o início do seqüestro a Policia obteve informações de que os acusados seriam bandidos que atuam na região da Grande Messejana e José Walter. ?Concentramos as investigações nessas informações e mobilizamos todos os policiais da DAS. Em poucos dias conseguimos chegar aos acusados?.

O delegado Andrade Júnior ressaltou ainda o empenho da equipe de inspetores da DAS. Segundo ele, mesmo com o pedido de afastamento da Polícia por parte da família, o que Andrade considerou compreensível, todos os policiais estavam em campo em busca de informações que pudessem levar à localização do cativeiro.

Foi em clima de festa, com palmas e balões que Francisco Damásio Avelino de Sousa Filho foi recebido pelos familiares e amigos em casa, na Rua Santa Rosália, em Messejana. Mesmo após ficar seis dias em poder de seqüestradores, ele demonstrou tranqüilidade, mas não escondia o cansaço pelo período em que ficou aprisionado, longe da família.

Saudade

Ao chegar em casa, o comerciante abraçou os amigos e vizinhos e passou a comemorar com a família. Da sacada da residência onde mora, ele disse que estava bem. ?Foi muito ruim, mas, graças a Deus, eles não me machucaram. Me alimentava de manhã, de tarde e a noite. O pior era a saudade da família. ? A mãe de Damásio, Francisca Brito de Sousa, 65, não escondia a alegria de ter o filho de volta em casa. ?Quando o vi chegando senti uma alegria muito grande. Foi Deus quem o trouxe ele de volta?.

Fonte: Diário do Nordeste, www.diariodonordeste.com.br