“Achava que minha filha ia morrer”, diz pai de menina estuprada

Após o crime, Rogério fugiu, mas foi preso na casa de parentes

O pai da menina de 11 anos que foi violentada pelo vizinho no bairro de Saramandaia, em Salvador, confessou que não conseguiu esquecer o relato dado pelo médico sobre os ferimentos provocados pela violência sexual e esperou pelo pior.

"Ela foi muito espancada por esse monstro.  Então, eu achava que minha filha não ia sobreviver", disse o pai emocionado.

Ervick Fraga e os moradores da localidade desconfiam que a garota não foi a primeira vítima de Rogério Sena Melo, 19 anos. Segundo o pai da menina, o criminoso teria confessado que já estava vigiando a garota. 

Uma testemunha, que presenciou o socorro dado à criança, relatou que o criminoso foi frio e continuou ao lado da menina, mesmo depois do crime.

" Ele todo o socorro, mesmo ela desmaiada, em todo tempo, ele tentava acordá-la. Quando conseguimos acorda-la, ela contou o que tinha acontecido. Eu perguntei: “aconteceu, foi quem?”. Ela falou: “foi Tito”, que é o apelido dele."

Rogério atacou a menina quando ela saía de casa para visitar uma amiga. Segundo a polícia, o homem usou de força e ameaça para levar a vítima para a sua residência, onde a agrediu e cometeu o estuprou.

Após o crime, Rogério fugiu e estava foragido. Ele estava escondido na casa de parentes em Santo Amaro, no Recôncavo, e foi encontrado por investigadores da Dercca, após a mãe da vítima prestar queixa. O suspeito foi encaminhado ao sistema prisional.

Fonte: Com informações do R7