Acusado de asfixiar noiva após briga é preso; mulher está em coma

O advogado tentou culpar um pedreiro, mas não adiantou.

O advogado William Cesar Borreli, indiciado por tentativa de homicídio após asfixiar a própria noiva em 31 de março deste ano, foi preso na noite desta terça-feira (9), em Praia Grande, no litoral de São Paulo. O crime aconteceu em São Vicente, no apartamento onde ela morava, após uma briga. Quatro meses após a tentativa de homicídio, Janaína permanece internada em estado grave. Ainda não há previsão de alta.

A família acusava o homem de tentar matar a enfermeira Janaína Carolina Cunha Alves, de 26 anos, por ciúmes no relacionamento. Já William defendia a versão de que a vítima teria sido esganada por um pedreiro que trabalhava no imóvel. Ele teria entrado em luta corporal com o homem, que fugiu do local.

Ambas as versões foram investigadas pela Polícia Civil no 2º Distrito Policial de São Vicente. O pedreiro Raimundo Rodrigues de Souza Júnior foi questionado e inocentado do crime em 13 de julho.

Na época, o delegado responsável pelo caso, Norberto Donizeti Bergamini, afirmou que o depoimento de Raimundo se mostrou mais sólido. No entanto, as declarações do noivo da vítima, William, teriam sido vagas.

"A principal questão foi com relação a testemunhas que viram ele jogando um líquido no rosto da vítima, além do ponto que estavam apenas três pessoas no local, reforçado diversas vezes por ele. Com isso, cheguei a conclusão que há indícios para indiciá-lo por tentativa de homicídio", explicou o delegado.

Mulher continua em coma (Crédito: Reprodução)
Mulher continua em coma (Crédito: Reprodução)



Fonte: Com informações do G1