Acusado de enaltecer tráfico, MC é detido com 3 menores e drogas

MC Didô ficou nacionalmente conhecido com o funk "Parado na Esquina".

Anderson Romualdo Paulino da Silva, conhecido com MC Didô, foi detido na madrugada desta terça-feira, na casa do tio dele no Morro do Borel, na Tijuca, Zona Norte do Rio, com três menores de idade - uma delas de 12 anos - todas do município de São Gonçalo, na Região Metropolitana. De acordo com policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da comunidade, ele havia solicitado a ex-mulher, moradora da Favela do Jacarezinho, um carregamento de R$ 200 em ecstasy. Ele foi liberado nesta manhã na 19ª (Tijuca) e autuado por porte e uso de drogas.


Acusado de enaltecer tráfico, MC é detido com 3 menores e drogas

Ainda de acordo com PMs da UPP do Borel, eles faziam um patrulhamento pela região quando ao passarem pela casa onde estavam Didô, o tio dele e um mototaxista ouviram a movimentação e um diálogo do funkeiro por telefone. Segundo o soldado De Souza, no aparelho ele pedia a ex-mulher que enviasse do Jacarezinho o carregamento de ecstasy. Como o motoqueiro que faria o transporte se acidentou, ele teria pedido também por telefone que um taxista buscasse a droga.

Os PMs aguardaram para efetuar o flagrante, mas abordaram o mototaxista que estava no imóvel quando ele saiu e deixou cair um papelote de cocaína. Na casa, Didô e o tio estavam na companhia da menina de 12 anos e outras duas adolescentes de 16. No local foram encontradas bebidas alcoólicas, preservativos, sacolés de cocaína e um CD do funkeiro com músicas de forte apelo de cunho sexual, ainda segundo policiais da UPP do Borel. De acordo com eles, as menores confirmaram em depoimento a encomenda da droga.

MC Didô ficou nacionalmente conhecido com o funk "Parado na Esquina", coreografado pelo atacante Ronaldinho Gaúcho do Flamengo em suas comemorações de gol. Em dezembro de 2010, o funkeiro e mais quatro MCs foram presos por policiais da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), acusados de apologia ao tráfico de drogas e formação de quadrilha.

O funkeiro foi acusado de cantar os funks de enaltação ao tráfico de drogas - os chamados "proibidões" - e ter ligação com o Comando Vermelho (CV), facção criminosa que controlava os pontos de venda de drogas no Complexo do Alemão, antes da ocupação das comuniades pelas forças de segurança. MC Didô se defendeu na época afirmando ter sido obrigado pelos marginais a cantar as músicas.

Fonte: O Dia Online