Acusado de estuprar e enforcar professora pega 40 anos

Defesa do acusado considerou a condenação "exorbitante".

Um homem identificado como Darlisson Rodrigues da Silva foi condeando a 40 anos de prisão pela morte por estupro e enforcamento de uma professora de nome Elissandra Anunzio Polli, de 38 anos. O crime aconteceu em novembro de 2015, em São Paulo. 

De acordo com o delegado Alfredo Gagliano Junior, o acusado deve cumprir, no mínimo, 21 anos em regime fechado e depois poderá entrar com pedido de liberdade condicional. Darlisson Rodrigues da Silva já estava preso no Centro de Detenção Provisória de Taiúva (SP), onde deve seguir para cumprir a pena estipulada.

 Elissandra Anunzio Polli
Elissandra Anunzio Polli

Segundo o advogado do acusado, Paulo Henrique Scutti, a família considerou a pena imposta exagerada. “Tanto eu como a família consideramos algo exorbitante. Tanto no laudo da perícia quanto do IML, não foi apontado nenhuma prova que comprovasse essa pena, nada do que foi pedido pela delegada foi constatado nesses exames”, explicou.

Scutti ainda informou que o cliente dele nega a autoria do crime desde o primeiro depoimento. “Ele deve estar totalmente chocado. Vamos apresentar recurso para anulação do júri porque achamos que os jurados votaram contra as provas dos autos”, concluiu o advogado.

A professora foi encontrada morta com sinais de enforcamento em sua residência no Parque Imperador, em Matão, no dia 26 de novembro do ano passado. De acordo com o B.O., a mulher estava caída na sala com lesões no rosto e um cadarço branco enrolado no pescoço.

Fonte: G1