Acusado de homicídio de ex-vereador é condenado a 39 anos de prisão

O réu cumprirá pena na Penintenciária Regional José de Deus Barros

José Gildásio de Brito, um dos acusados do homicídio do ex-vereador da cidade de São Julião, Emídio Reis, foi condenado pelo tribunal do júri a 39 anos de prisão em regime fechado e mais 20 dias de multa. Ele deverá cumprir pena na Penitenciário Regional José de Deus Barros. O crime ocorreu em 2013.

O julgamento teve início nesta terça-feira (19), no Fórum Helvídio Nunes de Barros, em Picos, e terminou por volta das 5h desta quarta-feira (20). O réu respondia pelas acusações de sequestro, homicídio e ocultação de cadáver. osé Francimar Pereira, vice-prefeito de São Julião na época, é acusado de ser o mandante do crime e também está preso, desde março de 2013. Outras três pessoas estão presas e aguardam julgamento que deve acontecer ainda este ano. Antônio Sebastião de Sá e Valter Ricardo da Silva estão sendo apontados como executores e Joaquim Pereira Neto seria o responsável por contratar os pistoleiros que mataram o ex-vereador.

O assistente de acusação Herval Ribeiro destaca que documentos comprovam que o réu planejou o sequestro de Emídio Reis e que ele ainda ajudou a enterrar vivo o político. Ele disse que ainda foram entrado na casa de Gildásio um soco inglês, cujas marcas eram compatíveis com as encontradas no corpo de Emídio Reis.

Em Picos, familiares e amigos da vítima protestam em frente ao Fórum Helvídio Nunes. Com faixas, eles pedem justiça e a condenação dos envolvidos.

Julgamento de um dos acusados de assassinar Emídio Reis
Acusado de participar da morte de ex-vereador é condenado a 39 anos de prisão


Fonte: Portal MN