Acusado de homicídio, ex-goleiro Bruno vira garçom no  presídio

Acusado de homicídio, ex-goleiro Bruno vira garçom no presídio

Ex-goleiro acusado de assassinato agora serve o café da manhã aos companheiros de prisão.

Atrás das grades há quase dois anos, o ex-goleiro Bruno, 27 anos, ainda tenta se adaptar à rotina de detento. A vida regada a orgias, sucesso e muito dinheiro ficou para trás. Hoje, o ex-capitão do Flamengo vive de forma espartana na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem (MG), onde aguarda julgamento pelo brutal assassinato da modelo Eliza Samudio, com quem ele teve um filho. Bruno agora serve o café da manhã aos companheiros de cadeia.

O ex-jogador foi indiciado por homicídio triplamente qualificado, sequestro, cárcere privado, ocultação de cadáver, formação de quadrilha e corrupção de menores. Eliza está desaparecida desde junho de 2010, quando tinha 25 anos.

?Ele acorda cedo, abre a cela e recebe um carrinho com o galão do café. Vai passando de cela em cela servindo o café nos copos dos presos?, revela Ângela Maria Rosa Sales, 46, tia de Bruno, que o criou junto com dona Estela, sua avó.

Depois do café, o ex-goleiro começa a faxina na penitenciária, pela qual recebe mensalmente 75% do salário mínimo, R$ 466,50. Mas é nas duas horas de sol diárias que ele relembra os tempos do futebol. Autorizado pela Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi), Bruno exercita seus reflexos usando meião, caneleira e bola.

Nas horas livres, ele se atualiza com as notícias vendo TV ou escutando rádio. Mas não acompanha o futebol.?Ele não gosta de ver e chora quando tem jogo do Flamengo?, entrega a tia.

Outra mudança importante na vida do ex-goleiro depois que foi preso: Bruno agora é evangélico, lê a Bíblia e canta hinos de louvor.

?No domingo, na hora do almoço, ele faz uma oração e canta hinos de louvor. Isso distrai a cabeça dele, porque se não tiver Deus no coração, aí é que não tem jeito mesmo?, diz Ângela.

Nos fins de semana, ele recebe a visita de parentes e, às vezes, das duas filhas. Tem direito à visita íntima da namorada, a dentista Ingrid Calheiros, que vê com frequência.

A rotina

6h - Acorda e abre a cela. Às 7h, serve o café da manhã aos presos: pão com manteiga, café e um pacote pequeno de leite.

8h - Faz faxina no presídio.

11h - Almoço. Normalmente come um tipo de carne (frango), além de arroz, feijão e salada, que são servidos em uma quentinha, e uma sobremesa ? uma fruta, gelatina, ou um pedaço de doce.

13h - Volta a fazer faxina no presídio.

15h - Lanche. Suco artificial e pão com manteiga.

18h - Jantar, o mesmo cardápio do almoço.

19h - Volta para cela e vai ver TV, escutar rádio ou responder cartas de fãs.

Fonte: O Dia Online