Acusado de integrar milícia se exibe com dinheiro em rede social

O jovem é acusado de ser da milícia e é conhecido por ostentar

A Polícia Civil prendeu em flagrante, no último fim de semana, João Batista de Borba Cardoso, 34 anos. Ele é acusado de ser integrante de uma milícia de Bela Vista, em Campo Grande, na Zona Oeste.

Desde dezembro do ano passado, a polícia investiga o paradeiro de Gláucio Ramos Menezes, de 22 anos, que junto com Bruno Caetano Campos, de 23 anos, é acusado de assassinar o militar Bruno Luiz Crispim Santos, de 23 anos, após discussão em uma festa.

Gláucio tem fama por fazer ostentação no Facebook postando fotos com dinheiro, carros, motos e bebidas alcoólicas. As denúncias podem ser feitas pela própria Delegacia de Homicídios ou pelo número do Disque-denúncia (2253-1177).

No dia 13 de março, agentes descobriram o esconderijo de Bruno Caetano, que seria o autor dos disparos. O criminoso teria usado a arma de Gláucio para matar o militar e depois seguido para Conceição de Jacareí, na Costa Verde, onde se refugiou na casa de parentes.


Acusado de integrar milícia se exibe com dinheiro na web
Acusado de integrar milícia se exibe com dinheiro na web


Cobrança a comerciante

Segundo o titular da Delegacia de Homicídios, Fábio Cardoso, no sábado, enquanto a polícia fazia buscas em Campo Grande por Gláucio, agentes acabaram prendendo em flagrante João Batista com um carro roubado e clonado e mais de R$ 3 mil.

“As informações apuradas pela DH indicam que João Batista e Gláucio Ramos integram o mesmo grupo de milicianos já que ambos estavam juntos na cobrança de comerciantes no momento que agentes efetuaram a prisão”, disse.

Fonte: ig