Acusado de mandar matar ex-genro, fundador da Gol ganha habeas corpus

Poucas horas após ter sido preso na quarta, o empresário alegou um mal estar

O desembargador Dácio Vieira, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, concedeu às 23h30 deste sábado (dia 18) o habeas corpus ao empresário Nenê Constantino, 79 anos.

Um dos fundadores da companhia aréa Gol estava preso desde a última quarta-feira (dia 15) sob acusação de ser mandante da tentativa de assassinato de um ex-genro, Eduardo Queiroz Alvez.

Os advogados de Constantino haviam impetrado o habeas corpus na tarde de sábado, mas a decisão foi tomada à noite pelo desembargador Vieira, plantonista do tribunal.



Poucas horas após ter sido preso na quarta, o empresário alegou um mal estar e foi transferido para um hospital. Com problemas no coração, Constantino foi internado na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital do Coração do Brasil.

De acordo com o último boletim médico divulgado no sábado, Constantino foi submetido a um cateterismo. ?O procedimento evidenciou obstrução discreta em artérias coronárias e o tratamento adequado será administração de medicamentos?, segundo o documento.

Constantino recebeu alta hospitalar na manhã deste domingo, às 6h30. Segundo boletim médico divulgado hoje, o empresário foi liberado em bom estado geral, fazendo uso apenas de medicação via oral.

Segundo o advogado do empresário, Marcelo Bessa, autor do habeas corpus, Constantino viajou para São Paulo e está na casa da família.

Fonte: Quem, revistaquem.globo.com