Acusado de matar 19 pessoas diz que queria deixar 'todos felizes'

O rapaz invadiu uma clinica para deficientes e matou a facadas.

Nesta terça-feira (02), o responsável pelo ataque em uma clínica de deficientes no Japão, que causou a morte de 19 pessoas, afirmou em depoimento a polícia que queria fazer ‘todos felizes’.

O acusado do massacre se chama Satoshi Uematsu e é ex-funcionário do local. Ele afirmou que achava que todo mundo seria mais feliz com as mortes, depois que ouviu dos seus colegas de trabalho que cuidar dos pacientes era algo difícil.

Por conta disso, o rapaz de 26 anos, invadiu o estabelecimento e após mobilizar seguranças, matou os pacientes a facadas enquanto eles dormiam. Toda a ação durou cerca de 50 minutos, durante esse tempo ele matou 19 pessoas e feriu 26, destes 26, quatro ainda estão em coma no hospital.

Uematsu escolheu como vítimas alguns dos pacientes da clínica com maior grau de incapacidade, segundo o próprio relato de Uematsu, que se entregou em uma delegacia perto do local do massacre. Antes de se entregar para a polícia, Uematsu ainda passou em uma loja onde comprou doces. Os agentes estão investigando os movimentos de Uematsu após o massacre e examinando os vídeos de segurança do local.

Acusado sorri com prisão (Crédito: Reprodução)
Acusado sorri com prisão (Crédito: Reprodução)


Fonte: Com informações do G1