Acusado de matar 7 em chacina é descrito como uma pessoa "calma"

Jovem de 22 anos confessou ter matado setes pessoas em Doverlândia, GO.

Convidado pela delegada-geral da Polícia Civil em Goiás, Adriana Accorsi, o psicólogo Leonardo Faria começou a traçar o perfil de Aparecido Souza Alves, 22 anos, principal suspeito da chacina de Doverlândia (GO), na qual sete pessoas foram degoladas no dia 28 de abril. ?Ele é uma pessoa muito calma e muito centrada", define o psicólogo, que atua na área criminalística há nove anos.


Acusado de matar 7 em chacina é descrito como uma pessoa

Ele afirma que a tranquilidade do jovem surpreende. "Ele é muito objetivo nas respostas e muito calmo. Então, quando a gente olha o que aconteceu no local do crime e olha aquela pessoa ali na frente, fica até estranho perceber como uma pessoa calma e centrada, dessa forma, poderia ter cometido uma atrocidade dessas?, observa.

Para Leonardo, as respostas podem estar nos primeiros anos da infância. "A história de vida do sujeito até os dez, doze anos é importantíssima para a gente analisar se ele já vinha trazendo lá de trás uma característica ou um traço que iria levá-lo a um transtorno de psicopatia em fase adulta?, avalia o psicólogo.

Para concluir o perfil psicológico, vão ser necessárias mais duas sessões, com cinco horas ao todo. O trabalho poderá ajudar a polícia a entender melhor o crime. Uma das principais perguntas a serem respondidas é se um homem jovem, de 22 anos, saudável, sem antecedentes criminais graves seria capaz de matar o dono de uma fazenda, o filho dele, o caseiro e dois casais que iam visitar o fazendeiro. Todas as sete pessoas foram mortas com facadas no pescoço.

Fonte: G1