Acusado de matar sargento da PM morre após um tiroteio com militares

Suspeito de atirar 13 vezes contra oficial de folga foi localizado em Brotas. Integrante da Força Tática de Piracicaba foi alvo de 13 disparos.


Acusado de matar sargento da PM morre após tiroteio com militares

O homem suspeito de atirar 13 vezes contra um sargento da Polícia Militar na porta de um restaurante em Piracicaba (SP) morreu após troca de tiros com PMs na noite desta sexta-feira (27) no bairro Jardim Modelo, em Brotas (SP). Segundo informações de boletim de ocorrência registrado pela Polícia Civil, Francisco Fabiano Piazza, de 35 anos, conhecido como Francisquinho, era foragido da Justiça. Ele respondia a processo criminal pelo homicídio qualificado do sargento Arnaldo Francisco de Brito, que atuava na Força Tática em Piracicaba. Brito foi baleado na noite do último dia 14 durante a folga e morreu no dia 22.

Durante patrulhamento, guardas municipais de Brotas abordaram um pedreiro de 38 anos e um motorista de 53 anos que teriam levado Francisquinho à cidade. Os homens contaram aos guardas onde o suspeito estava escondido. Os GMs acionaram a PM de Piracicaba para localizá-lo e prendê-lo. Durante o cerco ao imóvel indicado, ao subirem no muro que dá acesso ao quintal, os PMs foram recebidos a bala pelo acusado, que estava no telhado, e revidaram, conforme relato em boletim de ocorrência.

Francisquinho tentou correr sobre o telhado e caiu no quintal, mas ainda disparou outras três vezes contra os policiais, segundo o registro policial. Durante a troca de tiros, o homem foi baleado e se rendeu. Na sequência, foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e encaminhado para o Hospital Santa Therezinha, em Brotas, onde morreu.

A residência onde o acusado estava, na Rua Wilson Nicolella, foi isolada até a chegada da perícia de Rio Claro (SP). Foram feitos exames residuográficos nas mãos dos policiais militares e do suspeito. Os PMs apresentaram na Polícia Civil de Brotas um revólver calibre 38 com numeração raspada, quatro cápsulas deflagradas, dois projéteis intactos e 32 gramas de maconha que estavam com o suspeito.

Entenda o caso

O sargento da Polícia Militar Arnaldo Francisco de Brito, de 44 anos, levou 13 tiros quando estava na porta do restaurante Habib"s do bairro Alto, em Piracicaba, na noite do último dia 14. O atentado aconteceu por volta de 21h. O garupa de uma moto desceu do veículo, foi na direção da vítima e efetuou os disparos, conforme informações da Polícia Civil. O integrante da Força Tática foi levado com vida à Santa Casa da cidade.

Uma comunidade na rede social Facebook identificada como "página que apoia a Polícia Militar de Piracicaba" publicou no dia seguinte o vídeo do atentado contra o sargento, que morreu na tarde do último dia 22 na Santa Casa de Piracicaba. O policial foi enterrado na segunda (23) no Cemitério Parque da Ressurreição, em Piracicaba.

Represália por morte

A Polícia Civil investiga se o atentado contra o sargento Brito foi uma vingança de criminosos pela morte de um suspeito que trocou tiros com policiais militares no último dia 12 no bairro Bosques do Lenheiro, em Piracicaba. A Delegacia de Investigações Gerais (DIG), responsável pelo caso, informou que não dará detalhes sobre o assunto para não atrapalhar a apuração.

Fonte: G1