Acusado de ter filhos-netos é morto em motim no Maranhão

Acusado de ter filhos-netos é morto em motim no Maranhão

Ainda de acordo com a polícia, a rebelião teria sido motivada pela superlotação na delegacia

Chega a seis o número de presos mortos por detentos durante a rebelião na Delegacia Regional de Pinheiro, no Maranhão. Segundo a Polícia Militar, quatro presos foram decapitados. A rebelião começou na noite de segunda-feira (7) e as negociações continuam na tarde desta terça-feira (8).

Ainda de acordo com a polícia, a rebelião teria sido motivada pela superlotação na delegacia. A delegacia tem, atualmente, mais de 90 detentos. O local teria capacidade para cerca de 40 presos. Os presos reivindicam ainda melhores condições na carceragem e suas transferências para as comarcas de origem.

Entre os mortos na rebelião está o pescador suspeito de manter a filha em cárcere privado desde 1998 e ter sete filhos com ela, em Pinheiro. "Nós estamos recolhendo os corpos e encaminhando para perícia, para que eles sejam identificados oficialmente. Eu, pessoalmente, reconheci um dos mortos como sendo o pescador", diz ao G1 o escrivão João Batista Furtado Neto.

Em nota, o Governo do Maranhão confirma que um dos seis mortos é o pescador. A maioria dos mortos estaria envolvida em crimes de pedofilia. O Governo e a Secretaria de Segurança Pública do Maranhão acompanham as negociações.

Fonte: g1, www.g1.com.br