Acusados de fazer coxinha com carne humana vão a júri popular

Acusados de fazer coxinha com carne humana vão a júri popular

Eles respondem pelas mortes de três mulheres; trio está preso no interior de PE.

O Instituto de Criminalística de Recife (PE) divulgou nesta terça-feira (26) o laudo conclusivo que aponta que o trio conhecido como ?Canibais de Garanhuns? não possui nenhum tipo de desvio mental e que os três podem responder pelos próprios atos. Sendo assim, Jorge Beltrão Negromonte da Silveira, 52 anos, Isabel Cristina Pires da Silveira, 52 anos, e Bruna Cristina de Oliveira da Silva, 23 anos, devem ir a júri popular. O Tribunal de Justiça do Estado informou que a audiência ainda não tem data para ocorrer, mas deve ser agendada nos próximos dias.

O trio é acusado de três mortes, duas em Garanhuns e uma em Olinda. O laudo foi enviado às duas cidades para conhecimento da Polícia Civil. Os exames de sanidade foram pedidos em julho de 2012 durante a primeira audiência realizada do caso. Na imagem, cova onde corpos foram achados em Garanhuns.

Em Garanhuns, os três respondem pelos homicídios triplamente qualificados de Giselly e Alexandra, ocultação e vilipêndio de cadáver (desrespeito ao corpo) e furto. Em Olinda, o trio foi acusado de homicídio quadruplamente qualificado; ocultação e vilipêndio de cadáver, de Jéssica. Uma filha dessa terceira vítima, ainda criança, foi criada pelos acusados até a polícia descobrir os crimes. Na época, eles disseram que mataram mais de oito mulheres, mas somente três corpos foram achados até hoje.

O caso teve grande repercussão, inclusive internacional. Eles usavam parte dos corpos das vítimas para rechear salgados, como coxinhas e empadas. A informação foi confirmada pelo delegado responsável pelas investigações em Garanhuns, Weslei Fernandes. O delegado contou que os criminosos escolhiam as mulheres que acreditavam ser "pessoas más" para virarem suas vítimas e comiam a carne como um ato de purificação.

A polícia chegou aos corpos com a ajuda da criança que vivia com o trio, que tinha apenas cinco anos. Ela teria presenciado os assassinatos e comido a carne da própria mãe. Os corpos estavam enterrados em dois buracos construídos no fundo da casa. Outro buraco estava sendo feito e a polícia acredita que seria para uma terceira vítima. Na foto, outra vítima morta em Garanhuns.

Fonte: R7, www.r7.com