Advogada diz que foi espancada ao pedir silêncio em um bar

Advogada diz que foi espancada ao pedir silêncio em um bar

Bar autuado três vezes por barulho e confusão diz que briga ocorreu fora.

Uma advogada denunciou que foi espancada por três frequentadores de um bar no Sudoeste, no Distrito Federal, após pedir silêncio na noite de segunda-feira (29). O apartamento da advogada fica em cima do estabelecimento e, segundo ela, cinco pessoas discutiam embaixo da janela.

As agressões teriam acontecido quando ela desceu para conversar pessoalmente, depois do pedido de silêncio e de chamar a polícia. Ela teria sido espancada por duas moças e um homem.

?O rapaz inclusive puxou meus cabelos, ajudou a me deixar no chão para as outras duas me baterem?, disse. Após as agressões, ela afirma ter ficado com escoriações e inflamação na coluna cervical.

Moradores da região dizem que já fizeram várias reclamações para a polícia e para a Administração Regional do Sudoeste. ?O mínimo que se espera é que os moradores, quando chegam em suas casas, tenham descanso, mais nada. E é impossível de se conviver com esse tipo de atitudes?, diz o síndico do prédio.

O bar já foi autuado três vezes por barulho e confusão. No ano passado, chegou a ser fechado. Para reabri-lo, os donos assinaram um acordo se comprometendo a respeitar a lei do silêncio. O Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Distrito Federal (Ibram) disse que o estabelecimento corre o risco de ser autuado novamente.

Procurado, o dono do estabelecimento pediu que a gerente dissesse que a briga ocorreu do lado de fora e que o bar não transmite jogos, apesar de haver um convite postado na internet.

O delegado Flávio Marcondes disse que a situação poderia ter sido pior. ?Poderia acontecer algo mais grave, alguém estar armado e acontecer situação mais desagradável.?

Fonte: g1, www.g1.com.br